Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



PL , partido do presidente Jair Bolsonaro , entrou com uma ação na Justiça para tentar cassar o mandato do senador eleito Sergio Moro (União Brasil). O objetivo da sigla é que se tenha uma nova eleição no Paraná e que Paulo Martins , representante da legenda que ficou na segunda posição, conquiste uma cadeira no Senado .

A agremiação comandada por Valdemar Costa Neto (PL) pediu apuração de possíveis irregularidades em gastos e doações antecipadas da campanha do ex-ministro. O documento foi entregue ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) pelo PL estadual. O processo está em segredo de Justiça.

O partido usou como exemplo o episódio da senadora Selma Arruda. Em 2019, em seu primeiro ano de mandato, a então parlamentar foi cassada pelo TRE do Mato Grosso. Selma recorreu, mas o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) confirmou a decisão. Carlos Fávaro (PSD), que atualmente integra a transição do governo Lula na área da agricultura, foi quem a substituiu.

Vitória de Moro para ocupar uma cadeira no Senado

Sergio Moro se colocou como pré-candidato à Presidência da República em novembro do ano passado pelo Podemos. Ele criticou Lula e Bolsonaro, afirmando ser um nome da terceira via. Porém, em março, o  ex-juiz deixou a sigla e se transferiu para o União Brasil.

O ex-ministro de Bolsonaro concordou em lançar candidatura para o Senado por São Paulo. Porém, a mudança do seu domicílio eleitoral foi considerada irregular e ele concorreu pelo estado do Paraná.

Inicialmente, seguiu criticando o atual presidente da República e também o presidente eleito Lula. Mas as pesquisas o colocavam em segundo lugar, distante de Alvaro Dias (Podemos), seu ex-padrinho político.

Nas duas últimas semanas, o ex-juiz resolveu se reaproximar de Bolsonaro e declarou que seu maior inimigo é o PT. Por conta disso, Moro cresceu nas pesquisas e se aproximou de Dias.

Moro venceu a eleição para senador com 33% dos votos, enquanto Paulo Martins ficou em segundo, com 29%. O ex-juiz se encontrará com Bolsonaro nesta quarta e deve tratar do assunto.
Do IGNotícias 
***


error: Conteúdo Protegido