Erasmo deixa a esposa Fernanda Passos , com quem era casado desde 2019, e os filhos Leonardo e Gil, frutos do primeiro casamento. O artista havia sido internado no fim de outubro e recebeu alta no início de novembro após realizar exames complementares e ajuste terapêutico para um quadro de síndrome edemigênica. O artista ficou nove dias no mesmo hospital, no Rio de Janeiro.

Erasmo Carlos. Foto: Reprodução

Erasmo Carlos. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos, Roberto Carlos e Wanderléa. Foto: Reprodução
Wanderléa, Roberto Carlos e Erasmo. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos, Wanderléa e Roberto Carlos. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos e Wanderléa. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos e a mulher, Fernanda Passos. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos em show. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos e Roberto Carlos. Foto: Reprodução
Erasmo e Roberto Carlos. Foto: Reprodução
Morre aos 81 anos o cantor Erasmo Carlos, o Tremendão. Foto: Reprodução
Erasmo Carlos. Foto: Reprodução

Personalidades como Boninho e Lula lamentaram a morte do artista . A Som Livre, gravadora de Erasmo Carlos, também se manifestou sobre a morte do artista.

“A música popular brasileira para sempre terá em Erasmo Carlos um herói imortal. Suas passagens pela Som Livre foram e continuarão sendo motivos de orgulho e gratidão para todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver com o brilhantismo de um dos maiores nomes da nossa cultura. O adeus que não queríamos dar traz a lembrança recente de que, apenas cinco dias atrás, Erasmo foi o vencedor do Grammy Latino com o melhor álbum de rock de língua portuguesa. Essa é apenas mais uma das muitas evidências de que Erasmo seguirá atual e relevante para a música por toda a eternidade. Nossos sentimentos aos fãs, familiares e amigos”, publicaram.

Publicidade

O Tremendão: carreira e parcerias

Ator, escritor e multi-instrumentista, Erasmo Carlos nasceu no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, em junho de 1941. A juventude do artista foi guiada pela mãe, já que Erasmo só conheceu o pai aos 23 anos.

Cresceu no bairro carioca ao lado do amigo Tim Maia e de Roberto Carlos, um dos maiores parceiros da história de Erasmo. O tijucano participou de grupos musicais como “Snakes”, ao lado de amigos do bairro da Tijuca. Depois, integrou o grupo “Renato & Seus Blue Caps”, quando deu início à parceria com Roberto Carlos.

Com Erasmo dividindo os vocais com o baixista Paulo César, “Renato & Seus Blue Caps” publicaram o primeiro LP. Curiosamente, não muito depois, os Blue Caps acompanhariam o próprio Roberto Carlos na gravação de “Splish Splash”, numa versão para o português feita por Erasmo. O sucesso do disco garantiu a contratação de Renato & Seus Blue Caps pela CBS e o nascimento da parceria entre Roberto e Erasmo.

Erasmo Carlos era conhecido como o “Tremendão” desde a Jovem Guarda. O movimento cultural dos anos 60 e 70 gerou ícones para a música brasileira, como Erasmo, Roberto Carlos e Wanderléa. Entre 1965 e 1968, participou do programa de TV que impulsionou a carreira e o apelido.

Em 1980, Erasmo foi pioneiro ao unir grandes nomes da música em um disco, o “Erasmo Convida”. Ninguém levava muita fé que tantos nomes de peso pudessem ser reunidos, mas em questão de poucas horas Erasmo apresentou o repertório e os convidados confirmados. Além de colegas dos anos 60 – Wanderléa, Tim, Maia, Jorge Ben, Nara Leão e Rita Lee -, o disco trouxe os quatro Doces Bárbaros e ainda o amigo Roberto Carlos (em raríssima participação especial). As doze canções em parceria com grandes nomes da MPB, Nara Leão, Maria Bethânia, Gal Costa, Wanderléa, A Cor do Som, As Frenéticas, Gilberto Gil, Rita Lee, Tim Maia, Jorge Ben e Caetano Veloso, foram lançadas pelo selo Philips.

Em 2001, completou 60 anos e lançou seu 22º disco, “Pra Falar de Amor”. O show desse álbum foi lançado depois em CD e DVD: “Erasmo Ao Vivo”, que, além de registrar um momento histórico de um mito da música brasileira. No final de 2002, os 40 anos de carreira de Erasmo foram comemorados com o lançamento da caixa “Mesmo Que Seja Eu” – contendo toda a sua discografia no período 1971-1988.

Com vasta contribuição para a música brasileira, Erasmo lançou mais de 600 músicas em 50 anos de carreira. “Minha Fama de Mau”, “Mulher”, “A Volta”, “Sentado à Beira do Caminho” e “Eu sou Terrível” são alguns dos hits atemporais do artista.

Erasmo gravou parcerias com nomes como Zeca Pagodinho, Djavan, Marisa Monte, Milton Nascimento e Chico Buarque.

Venceu o Grammy Latino em 2022

Antes de morrer, Erasmo Carlos celebrou a vitória no Grammy Latino . O cantor venceu a categoria “Álbum de Rock ou Música Alternativa em Língua Portuguesa”, com o álbum “O Futuro Pertence À… Jovem Guarda”, lançado neste ano.

“É tão importante entender o conceito, quanto ouvir a música… Existem várias formas de amor, e eu preciso de todas. Obrigado a todos que contribuíram para mais essa vitória, esse Grammy é o reconhecimento do nosso trabalho. O Futuro Pertence à Jovem Guarda!”, comentou o cantor no post de comemoração à vitória.

Perdas e covid-19

Erasmo Carlos lidou com perdas ao longo da vida. Em 1995, o artista perdeu a primeira esposa, Sandra Sayonara Saião Lobato Esteves. Em 2014, outra morte impactou a vida de Erasmo. Alexandre, filho do meio do artista com Nara, morreu vítima de uma morte cerebral após sofrer um acidente de moto.

Em agosto de 2021, Erasmo Carlos foi internado após contrair covid-19. Na época, o Tremendão estava vacinado com duas doses.

“Mesmo mantendo todos os cuidados, inclusive vacinado duas vezes, testei positivo para a Covid. Já estou no terceiro dia de confinamento, como mandaram os meus médicos, e peço para que todos torçam para passar rápido”, afirmou o cantor à época. O artista passou 12 dias no CTI do Barra D’or, no Rio de Janeiro.

Do IGNotícias 

***