Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



ministro das Comunicações , Fábio Faria , em entrevista a Mônica Bergamo para a Folha de S.Paulo, comentou as reações da coletiva que promoveu no último dia 24, ao qual denunciou as inserções da propaganda eleitoral do candidato às eleições 2022 ,  Jair Bolsonaro (PL) , em rádios do Norte e Nordeste.

Segundo  Faria, a escala que tomou a falta de  inserções  entre os apoiadores do atual presidente, com pedidos para adiamento das eleições com a prerrogativa de “fraude”, não era o esperado.

Eu fiquei imediatamente contra tudo isso. Fui o primeiro a repudiar”, disse o ministro e reforçou que tal atitude “prejudicaria o presidente “.

Por conta da repercussão,  Faria diz ter protestado internamente e optou por “sair de cena”. “Me arrependi profundamente de ter participado daquela entrevista coletiva. Se eu soubesse que iria escalar, eu não teria entrado no assunto”, disse o ministro.

Coletiva 

A coletiva reuniu jornalistas em frente ao Palácio do Planalto, e tinha a presença de  Faria  e Fábio Wanjgarten , que integra a equipe de campanha de  Bolsonaro . Nela, a equipe informou que as auditorias tinham visto um problema na entrega das  inserções , visando assim que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedesse o mesmo número de  inserções  à campanha do candidato à reeleição — que supostamente não havia sido entregue pelas rádios .

“A falha era do partido, que percebeu o problema tardiamente, e não do tribunal. Como havia pouco tempo para o TSE fazer uma investigação mais aprofundada, eu iniciei um diálogo com o tribunal em torno do assunto”, disse Faria .

Determinação do TSE 

Na última sessão da Corte antes do segundo turno, Moraes reforçou as notas da Corte Eleitoral sobre o tema . “ Não é responsabilidade do TSE distribuir mídias de TV e rádio, nem sequer fiscalizar rádio por rádio no país todo. Isso todos os partidos de boa-fé sabem. Os spots e mapas de mídia são disponibilizados no site do TSE. A quem compete fiscalizar cada inserção? Aos partidos políticos e candidatos. Se não o fizeram, não o fizeram assumindo o risco”, disse o presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes.

O pedido da equipe de  Bolsonaro  em abrir uma ação sobre possível boicote de rádios foi rejeitada pelo ministro , que alegou falta de provas.

Moraes  ainda determinou que abrissem uma investigação sobre possível “crime eleitoral com finalidade de tumultuar o segundo turno”.

Do IGNotícias 

***


error: Conteúdo Protegido