Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ordenou a suspensão de perfis no Twitter e no Facebook do desembargador Marcelo Buhatem, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e presidente da Associação Nacional de Desembargadores. No último dia 7, a coluna mostrou que Buhatem havia compartilhado fake news sobre Lula no WhatsApp.

Técnicos do CNJ encontraram várias publicações nas redes de Buhatem que violam regras da magistratura. Salomão apontou a necessidade de bloquear com urgência os perfis do desembargador nas redes sociais, especialmente com a proximidade do segundo turno, no próximo domingo (30/10). O ministro escreveu também que Buhatem continuou desrespeitando normas da magistratura depois que o CNJ abriu uma investigação sobre sua conduta.

“A conduta individual do magistrado com conteúdo político-partidário arruína a confiança da sociedade em relação à credibilidade, à legitimidade e à respeitabilidade da atuação da Justiça, atingindo o próprio Estado de Direito que a Constituição objetiva resguardar”, afirmou Salomão.

Do Metrópoles 
***


error: Conteúdo Protegido