Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Em grupos de WhatsApp, delegados e policiais federais criticaram a demora no cumprimento da ordem de prisão expedida, neste domingo (23), pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, contra Roberto Jefferson, aliado do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL). A negociação para a prisão durou cerca de oito horas.

Nas críticas, os policiais afirmam que não havia motivos para prolongar as negociações, principalmente depois que o ex-deputado federal atacou os agentes com tiros de fuzil e granadas. Também criticaram a intervenção do Poder Executivo, por meio do ministro da Justiça, Anderson Torres, nas negociações. As mensagens foram obtidas pelo O Globo. 

Em nota, a Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) afirmou que “é totalmente inaceitável qualquer tipo de violência contra policiais federais, em especial no cumprimento do dever legal estabelecido pela Constituição Federal”.

Conversa amigável 

Um vídeo gravado dentro da casa do ex-deputado Roberto Jefferson, aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL), mostra uma negociação amigável entre o ex-presidente do PTB e um policial federal, após os ataques feitos a policiais com mais de 20 tiros de fuzil e três granadas. Dois deles ficaram feridos.

“Eu quero lhe dizer uma coisa. Não atirei neles. Eles sabem disso. Eu cheguei e eles estavam embaixo, e eu com fuzil”, disse Roberto Jefferson ao policial, como mostra o vídeo obtido pelo GLOBO. 

Em meio a risadas, o policial federal chega a dizer que “o que o senhor precisar a gente vai fazer” a Roberto Jefferson e afirma que “os meninos estão bem”, referindo-se aos policiais que foram atingidos pelo ataque do ex-deputado federal com tiros de fuzil e granada.

O policial também perguntou que tipo de granada foi lançada contra os policiais, e Roberto Jefferson disse que se tratava de uma bomba de efeito moral. Em resposta, o policial diz “Ah” e ri.

Os policiais estavam cumprindo uma determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para prender Roberto Jefferson por violar repetidamente medidas impostas pela Justiça.

Ele foi preso em 13 de agosto de 2021 por ordem de Moraes, após ataques a ministros da Corte. Em janeiro de 2022, a decisão foi revertida em prisão domiciliar.

Agora, no entanto, além de ser investigado por ataques ao Estado Democrático de Direito, o político da extrema-direita responderá por tentativa de homicídio.

No mesmo dia em que o STF ordenou a prisão de Roberto Jefferson, a Corte também determinou a suspensão das contas em redes sociais de sua filha, a ex-deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Antes de ter as contas suspensas, Cristiane Brasil convocou apoiadores para acompanharem a prisão de seu pai do lado de fora da casa onde Roberto Jefferson estava, no município de Comendador Levy Gasparian, no estado do Rio de Janeiro. “Quem estiver perto corra para lá”, escreveu em seu perfil no Twitter.


Cristiane Brasil (PTB-RJ) e seu pai, Roberto Jefferson, ao fundo / Antônio Augusto/Agência Câmara

Repercussão no mundo 

A imprensa internacional repercutiu o ataque de Roberto Jefferson contra os policiais. O jornal francês Le Monde caracterizou o ataque do ex-deputado como “uma explosão de rara violência que diz muito sobre o estado de tensão que agita o Brasil, uma semana antes do segundo turno das eleições presidenciais”.

Na mesma linha, o jornal espanhol El País ligou o caso ao segundo turno das eleições, que ocorre no próximo domingo (30). “Como Bolsonaro contestou o sistema de votação, questionando a segurança do voto eletrônico, existe o temor de que não aceite uma possível derrota e que, como Donald Trump nos Estados Unidos, decida incentivar seus seguidos a se mobilizar contra os resultados”, escreveu o jornal lembrando que “muitos bolsonaristas estão armados”.

O jornal português Público disse que “a uma semana do segundo turno das eleições brasileiras, o chefe de Estado tentou distanciar-se ainda mais de Jefferson, afirmando que não tem nenhuma fotografia de ambos. No entanto, as redes sociais encheram-se de fotos em que os dois estão juntos”.

Do BrasilDEfato 

***


error: Conteúdo Protegido