Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Um brasileiro foi detido na noite desta quinta-feira (1°) após tentar assassinar Cristina Kirchner, vice-presidente da Argentina, em Buenos Aires. De acordo com informações dadas à imprensa local pelo ministro da Segurança, Aníbal Fernández, o homem seria Fernando Andrés Sabag Montiel, de 35 anos.

No momento da tentativa de assassinato, ele levanta a mão esquerda, que está com a arma, e tenta atirar. Nas imagens do momento do crime, é possível ver que ele chega a engatilhar a pistola, que falha. A Polícia Federal argentina, que estava cuidando da segurança de Cristina, o deteve rapidamente.

“Agora a situação tem que ser analisada pelo nosso pessoal da (polícia) Científica para avaliar os rastros e a capacidade e disposição que essa pessoa tinha”, disse Aníbal Fernández.

Relatos apontam que o brasileiro circulava no meio do grupo de militantes kirchneristas que desde a semana passada ficavam na porta do prédio onde reside a vice-presidente. Pouco antes do atentado, as pessoas ao redor perceberam a movimentação estranha.

Kirchner, que está em meio a um julgamento por acusação de corrupção, conta com uma equipe de segurança de 100 policiais federais o maior esquema de segurança de toda a história argentina.

Em pronunciamento ao vivo na televisão, o presidente do país, Alberto Fernández, decretou feriado nacional na sexta-feira (2). “Não há chance de violência coexistir com democracia”, afirmou o líder argentino.

“Cristina permanece viva porque, por algum motivo que ainda não foi confirmado, a arma com cinco balas não disparou mesmo com o gatilho sendo puxado”, disse Alberto Fernández, presidente argentino, em anúncio na televisão.

Investigação

A Polícia Federal argentina já vasculhou o último domicílio de Sabag Montiel no país, localizado no município de San Martín, na região da grande Buenos Aires. O apartamento é um conjugado e nele foram encontrados, segundo relatório policial, duas caixas de munições marca Magtech, calibre 9mm, que continham, no total, 100 balas. Também foram apreendidos um computador laptop marca HP e documentos pessoais de Sabag e familiares.

O brasileiro tinha em seu poder, ainda, um certificado de autorização para circular durante a pandemia, já que trabalhava como motorista de aplicativo, além de uma radiografia dental e outro certificado oficial por algum tipo de deficiência, que não foi informada. Também foram encontrados documentos de sua namorada, identificada como Brenda Elizabeth Uriarte, de nacionalidade argentina.

As munições encontradas serão submetidas a uma perícia, assim como a arma usada por Sabag, uma pistola Bersa calibre 380.

As redes sociais do brasileiro, já deletadas, indicam alguns de seus hobbies peculiares. Em seu perfil no Facebook, por exemplo, ele curtiu páginas como “Comunismo Satânico”, “Ciências Ocultas Herméticas” e “Coach Antipsicopata”, além de inúmeros grupos de ódio ligados à ideologia neonazista.

O brasileiro também gostava de ser chamado de “Salim” e se gabava de ser crítico ferrenho do atual governo argentino e da família Kirchner. Ele também postou vídeos de suas aparições em programas de TV, seja criticando programas do governo de auxílio financeiro ou a nomeação do ministro Sergio Massa, da Economia.

Segundo o jornal La Nación, em 17 de março do ano passado Montiel foi detido por porte de arma. Na ocasião, ele foi flagrado com uma faca e alegou que a usava para defesa pessoal. Montiel foi abordado na época por estar estacionado com um veículo sem a placa traseira. Ele alegou que a placa caiu “devido a um acidente de trânsito ocorrido dias atrás”. Quando ele se abriu a porta para pegar a documentação do carro, uma faca de 35 centímetros de comprimento caiu no chão.

 

***


error: Conteúdo Protegido