Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (25), a Operação Toy Story, com o objetivo de apurar o cometimento do crime de contrabando e tráfico internacional de armas de fogo, acessórios e munições.

Conforme a PF, brasileiros residentes nos Estados Unidos são suspeitos de enviar, pelo serviço postal internacional, acessórios de armas de fogo, peças de máquinas de recarga de munições, pólvora e outros itens para compradores na cidade de Palmas.

Os produtos importados ilicitamente foram apreendidos no aeroporto internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, e alguns dos seus compradores são colecionadores, atiradores desportivos e/ou caçadores (CAC).

Um total de 12 policiais federais cumpre 03 mandados de busca e apreensão na cidade de Palmas (TO), expedidos pela Seção Judiciária do Tocantins. Além disso, dois investigados residentes nos Estados Unidos serão interrogados nesta quinta-feira.

O início

As investigações iniciaram em janeiro de 2022 e, por meio de cooperação policial internacional, contaram com o apoio da Embaixada dos Estados Unidos.

Segundo a PF, os investigados podem ser responsabilizados pela prática dos crimes de contrabando, associação criminosa e tráfico internacional de arma de fogo, acessório ou munição, capitulados, respectivamente, nos artigos 334-A e 288 do Código Penal Brasileiro e art. 18 da Lei 10.826/2003, cujas penas, se somadas, poderão atingir até 24 anos de reclusão.

Nome

A operação foi denominada “TOY STORY”, pois os produtos proibidos importados vinham acondicionados de forma velada em brinquedos, kits de ferramentas e embalagens de suplementos alimentares, a fim de dissimular sua natureza proibida e facilitar o seu ingresso no Brasil.

 

***


error: Conteúdo Protegido