Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Foi preso pela Polícia Civil do Tocantins na tarde de quarta-feira (17), um lavrador de 58 anos, nome não divulgado, acusado de assassinar o próprio genro, Francisco Gomes da Silva, mais conhecido como Chiquinho. O homem estava em uma fazenda na zona rural de Augustinópolis.

O crime bárbaro foi registrado em março de 2019, no município de Araguatins, no Bico do Papagaio. O assassinato causou grande comoção na cidade e chamou atenção pela barbaridade e frieza com que fora praticado. De acordo com o delegado, após matar o genro, o suspeito ainda decapitou vítima e colocou tronco e cabeça em locais distintos, cujas partes foram encontradas em datas diferentes.

Investigações

As investigações da Polícia Civil apontaram que a vítima tinha problemas psiquiátricos e mantinha um relacionamento amoroso com uma das filhas do lavrador que não aceitava o caso até por ciúmes.

Desse modo, no dia 22 de março de 2019, a vítima foi até a fazenda onde sua namorada morava com o pai e seus familiares para visitá-la. Ocorre que, a partir dessa data, o rapaz foi dado como desaparecido.

Ao ser ouvido na época dos fatos, o sogro da vítima afirmou que seu genro tinha estado na fazenda, mas que no meio da noite teria ido ao banheiro e não foi mais visto.

Porém, as investigações da Polícia Civil apontaram que o sogro teria matado Francisco por não aceitar o relacionamento dele com sua filha. A vítima teria sido morta e esquartejada, sendo enterrada em uma cova, às margens do Rio Araguaia, no povoado Santa Luzia.

Corpo encontrado

Após intensas buscas, em 27 de março, quatro dias após o desaparecimento de Chiquinho, pescadores encontraram um corpo enterrado, o qual estava sem a cabeça, braços, pés e também teve sua genitália arrancada cirurgicamente. Submetido a exame de DNA, ficou constatado que se tratava do corpo de Francisco.

Desse modo, com a conclusão do inquérito policial, o sogro da vítima, que já tinha ficado preso por ocasião do crime, foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. Assim, o delegado representou pela prisão preventiva do homem que foi encontrado e preso nesta quarta-feira (17).

Após a realização das providências legais cabíveis, o homem foi recolhido à Cadeia Pública de Araguatins, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

 

***


error: Conteúdo Protegido