Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Quatro policiais militares envolvidos na morte do autônomo Henrique Alves Nogueira, de 28 anos, foram presos temporariamente nessa terça-feira (16/8). A informação foi confirmada ao Metrópoles pela Polícia Civil.

No mesmo dia, por volta das 22h, esses mesmos policiais alegaram que mataram Henrique em um suposto confronto, em uma estrada de terra no bairro Real Conquista, também na capital.

Veja o vídeo:

Foto no local

Foram presos o sargento Cleber Leandro Cardoso, o cabo Guidion Ananias Galdino Bonfim, o soldado Kilber Pedro Morais Martins e o também soldado Mayk da Silva Moura Sousa. A prisão é prevista para o prazo de 30 dias. Os quatro chegaram a tirar uma foto com a arma e drogas que supostamente estariam com a vítima morta a tiros.

No entanto, segundo o delegado que investiga o caso, André Veloso, da Delegacia de Homicídios (DIH), as imagens da câmera de segurança mostram que não foi encontrada arma e droga com Henrique na abordagem pela manhã. Ele foi colocado na viatura sem qualquer mochila ou sacola. A reportagem tenta localizar a defesa dos policiais.

Filho na escola

O advogado da família de Henrique contou ao Metrópoles que o autônomo tinha acabado de deixar o filho na escola, quando foi abordado e colocado dentro da viatura. A viúva de Henrique disse que se sente desamparada e que quer justiça. Henrique deixa um filho de 4 anos.

“O que houve com ele foi uma execução. Está bem claro que foi. Eu quero justiça. Estou desamparada. Tenho um filho de quatro anos e não sei o que faço nesse momento. Estou com medo, tenho medo que aconteça alguma coisa com meu filho”, disse a viúva em áudio enviado ao Metrópoles. Com medo, ela preferiu não se identificar.

Do Metrópoles
***


error: Conteúdo Protegido