Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



O plantão policial da capital do Tocantins foi bastante agitado nesta terça-feira (9), com o registro de uma tentativa de dupla execução e dois assassinatos, dentre eles, um com característica de acerto de contas.

A escalada da violência começou antes das 10h da manhã, no Residencial Ipê Amarelo, Setor Santa Bárbara, na região de Taquaralto, ocasião em que dois jovens de 18 e 19 anos foram vítimas de tentativa de execução protagonizada por dois elementos não identificados.

As informações repassadas por populares dão conta que os dois rapazes estavam no quintal sem muro de uma residência e foram surpreendidos pelos acusados que estavam em uma motocicleta. Assim que encostaram, os atiradores abriram fogo contra o dois e fugiram.

Com perfurações nos braços, mãos, tórax e pescoço, os jovens foram socorridos e continuam hospitalizados.

Sobrinho mata tio

No meio da tarde, foi registrado um homicídio em um bar localizado na Quadra 1.206 Sul. Nomes de vítima e acusado não foram divulgados pela Polícia Militar, embora já tenha conhecimento do grau de parentesco entre ambos.

De acordo com as informações apuradas pelo MICROFONE VERDADE, o dono do estabelecimento comercial estava conversando do tio quando ocorreu um desentendimento e foi ouvido o barulho do disparo.

Parentes e vizinhos foram ao bar e avistaram o homem estirado no chão com uma perfuração de tiro na altura do coração e seu sobrinho não estava mais no comércio.

A Polícia Militar constatou a ocorrência, isolou a área e acionou a Polícia Científica juntamente com a equipe do IML.

Execução de cabeleireiro

O cabeleireiro conhecido por BIGODE, 43 anos, foi executado dentro do salão de beleza onde trabalhava, na ARNO-32, antiga 305 Norte. O homem recebeu três disparos de arma de fogo efetuados a queima-roupa.

Conforme relatos de testemunhas, por volta 19h e 20m, dois suspeitos não identificados chegaram em uma motocicleta, adentraram no estabelecimento e executaram o cabelereiro que morreu com a tesoura não mão.

Após a prática do delito, os autores fugiram em alta velocidade e não foram encontrados pelas guarnições militares que diligenciaram em toda a região adjacente.

As investigações são conduzidas pela equipe da DHPP – Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa – que não passou informações sobre os crimes que, provavelmente, não possuem relações entre si.

 

***


error: Conteúdo Protegido