Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora
Situação difícil, mas controlável, diz OMS sobre varíola dos macacos
Situação difícil, mas controlável, diz OMS sobre varíola dos macacos
Espalhe essa notícia

Cerca de 200 casos da  varíola dos macacos foram confirmados e mais de 100 estão em análise fora em países onde o vírus causador da doença, o monkeypox, não é endêmico, informou nesta quinta-feira (26) a epidemiologista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove. A representante da organização pediu que os países aumentem a vigilância para detectar os casos de pessoas infectadas com a doença.

“Esperamos que mais casos sejam detectados. Estamos pedindo aos países que aumentem a vigilância (…) Esta é uma situação controlável. Será difícil, mas é uma situação controlável nos países não endêmicos”, disse Maria Van Kerkhove.

Falando durante uma coletiva online, a epidemiologista ressaltou que os casos até agora já foram identificados em mais de 20 países de regiões fora da África Central e Ocidental, onde a varíola dos macacos é uma doença endêmica. Segundo um balanço do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, os diagnósticos nesses lugares já chegaram a 219, número que quase quintuplicou em seis dias. Pela primeira vez, esses locais vivem casos de transmissão local do patógeno.

A Europa é a área mais afetada e vive o maior surto já registrado na história, segundo o serviço médico das Forças Armadas da Alemanha. Além do continente europeu, nações como Canadá, Estados Unidos, Austrália, Israel e Emirados Árabes Unidos também relataram infecções.

A varíola dos macacos é uma versão semelhante à varíola erradicada em 1980, embora mais rara, mais leve e com a transmissão entre pessoas mais difícil de acontecer. Ela é endêmica em 11 países da África Ocidental e Central, onde costuma ser passada de animais, principalmente roedores, para humanos. O aparente contágio mais fácil agora entre pessoas intriga os cientistas.

Os sintomas costumam ser uma forte febre e evoluir rapidamente para erupções cutâneas com formação de crostas. Segundo a OMS, eles duram entre 14 e 21 dias. Dados mostram que as vacinas utilizados para erradicar a varíola tradicional, em 1980, são até 85% eficazes contra essa versão. As autoridades de saúde britânicas já começaram a oferecer o imunizante a profissionais de saúde e pessoas que podem ter sido expostas ao vírus. Diversas nações também garantiram doses da vacina durante a semana.

 

Do IGNotícias

 

***

 

 


Espalhe essa notícia
error: Conteúdo Protegido