Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora

Espalhe essa notícia

O atual reitor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Luís Eduardo Bovolato, colocou seu nome na Consulta Eleitoral para reitoria e vice-reitoria para o quadriênio 2021-2025. Encabeçando a chapa 'Você conhece, você confia', Bovolato terá como vice-reitor o professor Marcelo Leineker, que é doutor em Física pela Universidade de Brasília (UNB).

A consulta está prevista para o dia 15 de junho. Conforme a comissão eleitoral, a votação ocorrerá de forma online, com utilização do sistema de votação Helios Voting.

A partir desta sexta-feira, dia 28 de maio, Bovolato e Marcelo vão apresentar suas propostas aos servidores, professores e alunos da instituição, com o foco na inovação e humanização da UFT. Um conjunto de propostas já foi protocolado e será amplamente debatido. 

"São muitos os motivos que nos levaram a participar da consulta. Entre eles estão o compromisso, amor e respeito por aquilo que representa uma universidade pública, pela oportunidade de atuar ao lado de toda a comunidade pela transformação de vidas, que é o objetivo da instituição", disse Bovolato.  

Para o professor, uma das principais metas é consolidar o trabalho desenvolvido e incorporar novas metodologias de ensino visando a implantação efetiva da universidade 4.0. "Temos foco nos resultados, mas esses resultados têm como base a atenção às pessoas, aos colegas professores, servidores e aos alunos."

O mesmo projeto é compartilhado pelo candidato a vice-reitor. "Creio que o próximo passo da UFT é fazer a consolidação didático-pedagógica, que toda a sua estrutura seja interligada e que os trabalhos estejam realizados em todos os níveis de gestão. Desde colegiado de curso, passando pela direção de campus até a gestão superior. E que a estrutura sirva para potencializar a parte acadêmica dando o suporte necessário para que os cursos de graduação e pós-graduação possam atingir seus objetivos em consonância com o PDI, que é o objetivo maior da universidade", afirmou Marcelo Leineker.

GESTÃO

Bovolato disse que na sua gestão, com a atual vice-reitora Ana Lúcia Medeiros, a UFT subiu sua nota no Índice Geral de Cursos (IGC) para a faixa 4 (o indicador vai até 5) e obteve nota 5 no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). A UFT também foi classificada entre as 20 melhores do país em governança.

Em termos de pesquisa, a atual gestão da UFT ampliou em mais de 200% o número de patentes. Fez crescer ainda de 319 em 2016 para 347 em 2020 o número de mestres e doutores formados a cada ano. O número de alunos envolvidos em atividades de pesquisa passou de 919 (em 2016) para 1698 (2021). Já o número de cursos de pós-graduação dobrou: 27 (em 2016) para 54 (2021). 

Entre 2016 até hoje foram investidos R$ 97.516.054,18 em obras nos sete campus. Das 16 construções com contrato vigente que estavam paradas, 14 foram concluídas. E as restantes estão em andamento. Em meio aos cortes de orçamento, a UFT buscou alternativas que garantiram a captação de R$ 109.195.034,28 em recursos externos. Porém, um dos itens principais é o de gestão de pessoas antes e durante a pandemia. Desde 2016, houve aumento do índice de qualificação dos servidores técnico-administrativos. 

ATENDIMENTO AOS ESTUDANTES

Conforme Bovolato, os estudantes foram atendidos em diversos programas intermediados pela federal tocantinense. Na pandemia, a UFT investiu R$ 2.320.000,00 e 1.934 alunos foram beneficiados no auxílio inclusão digital para aquisição de notebooks e tablets. E R$ 361.720,00 para pacote de dados a 1.508 alunos. Paralelamente a isso, houve o programa auxílio saúde, com R$ 567.850,00 para atender 325 alunos.

Também houve investimento de R$ 23.218.800,00 no Programa Auxílio Permanência, com 9.471 alunos beneficiados. Foi criado, ainda, o Auxílio Apoio Pedagógico, um investimento de 8.070.000,00 para 1.468 estudantes. Nos campus que não possuíam restaurantes universitários houve compensação, com o auxílio alimentação com R$ 12.812.000,00 para 4.140 alunos. O auxílio moradia teve disponibilizados R$ 4.900.000,00 para 2.826 alunos. A UFT foi considerada uma das principais do país na concessão do benefício.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: Luis Eduardo Bovolato é o atual reitor da UFT / Foto: Divulgação


Espalhe essa notícia
error: Conteúdo Protegido