Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre os assassinatos de Pollyana Jorge de Souza, de 43 anos; e de seu sogro, Ananias Ferreira de Sousa de 71, ocorridos em 27 de novembro de 2020, no Assentamento Santa Tereza, em Silvanópolis, região central do Tocantins.

O relatório produzido ao final das investigações aponta que a chacina foi comandada pelo ex-marido de Pollyana, que não teve o nome divulgado pela polícia. A motivação seria que o homem suspeitava que os filhos que ele teve com a vítima eram maltratados pela nova família.

O delegado do caso, Túlio Pereira Motta, informou que o principal acusado foi capturado, no dia 05 de abril último, em São Carlos, interior de São Paulo. Onde foi cumprindo o mandado de prisão preventiva. Outros dois homens que teriam ajudado na execução ainda são procurados.

Segundo os laudos da perícia, Pollyana recebeu nove tiros e Ananias seis. O novo marido de Pollyana, Cleomar Ferreira de Souza, de 35 anos, também foi baleado, porém se fingiu de morto e depois conseguiu fugir com a ajuda de um dos enteados.

Cinco crianças estavam na casa no momento dos assassinatos e uma delas estava deitada no colo da mãe. Apenas duas das crianças são de Pollyana com o ex-marido que ficaram casados por oito anos antes da separação.

Ainda não há confirmação sobre se as crianças foram realmente agredidas como o pai acreditava. A investigação foi ampliada para apurar esta possibilidade e este trecho do inquérito ainda está em andamento.

Enquanto isso, o homem preso em São Carlos vai responder por dois homicídios e uma tentativa. A transferência dele para o Tocantins terá que ser providenciada pelo Poder Judiciário.

Sobrevivente morto

O agricultor Cleomar Ferreira de Sousa, que estava vivendo maritalmente com Pollyana e era um dos alvos da chacina do Assentamento Santa Tereza, porém, conseguiu sobreviver, foi encontrado morto em circunstâncias misteriosas no último dia 26 de março, em uma fazenda localizada no município de Lagoa da Confusão, região centro-oeste do estado.

De acordo com familiares que residem na região do Distrito de Cangas, em Santa Rosa (TO), apesar de ter sido achado em situação de suicídio, não se pode descartar a possibilidade de homicídio uma vez que ele estava recebendo ameaças. Os parentes disseram que ele estava com arame envolta do pescoço, um meio, dificilmente, usado para quem quer pôr fim à própria vida.

Os parentes de Cleomar disseram também que receberam áudios, via whatsapp, os ameaçando no sentido de obrigá-los a dizer onde ele se encontrava. “Até agora não houve avanço nas investigações sobre a morte dele que precisa ser esclarecida”, disse uma pessoa da família que pediu para não ser identificada.

A chacina em Silvanópolis

Três pessoas foram vítimas de uma chacina no meio da madrugada desta sexta-feira (27/11/2020), na Chácara Nossa Senhora Aparecida, no Assentamento Santa Tereza, município de Silvanópolis, região central do Tocantins.

O agricultor até agora identificado pelo prenome de Cleomar, 35 anos, estava dormindo em casa com a esposa, o pai e os filhos quando foram surpreendidos por três homens armados que chegaram em um carro de passeio de cor clara.

Os suspeitos arrombaram a porta, entraram na casa e dispararam vários tiros contra o homem, a companheira e o idoso, na presença das crianças. Após a chacina, os autores fugiram em direção não sabida.

A mulher, conhecida por Poliana, 43 anos, merendeira da escola da comunidade; e seu sogro que atende pelo nome de Ananias das Cangas, 71, morreram na hora. Já o marido de Poliana que era o alvo principal juntamente com ela, recebeu quatro tiros, se fez de morto, foi socorrido e se encontra hospitalizado em estado grave.

Um dos filhos acionou os parentes e a Polícia Militar que realiza diligências em toda a região na tentativa de localizar os suspeitos.

 

***


error: Conteúdo Protegido