Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora

Espalhe essa notícia

O Ministério Público Federal (MPF) informou que obteve a condenação de um ex-presidente da Cooperativa de Profissionais Liberais do Vale do Araguaia (Coopvag) por desvios de recursos federais.

Durante sua gestão, conforme o MPF, o ex-presidente desviou para sua conta pessoal e para conta de uma empresa que também presidia o valor de R$ 270 mil oriundos da União e que deveriam ser utilizados para executar ações relativas ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e Programa Nacional de Desenvolvimento Social de Territórios Rurais (Pronat).

Ao todo, a cooperativa recebeu o total de R$ 1.585.719,00 pela assinatura de três contratos com as seguintes finalidades: construção e implantação do Plano Municipal de Assessoria Técnica e Educação Rural (Pmater), no município de Ponte Alta do Tocantins; para apoiar o processo de desenvolvimento sustentável com ênfase no fortalecimento da gestão social e na formação de redes sociais de cooperação; e para execução de ações voltadas para o fortalecimento da gestão social e da comercialização dos produtos da agricultura familiar.

Durante a ação penal, a Caixa Econômica Federal informou que nenhum dos instrumentos contratuais foi integralmente cumprido e que não foram registradas as prestações de contas parciais de dois convênios.

Atendendo ao pedido do MPF, a Justiça Federal condenou o empresário a mais de 3 anos de reclusão e ao pagamento de multa no valor de 1/3 (um terço) do salário-mínimo vigente à época dos fatos, devidamente corrigido.

O nome do ex-presidente não foi divulgado.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: Ele foi condenado a mais de três anos de reclusão / Foto: Chris Ryan/iStock


Espalhe essa notícia
error: Conteúdo Protegido