Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora

Espalhe essa notícia

As forças de segurança do Tocantins iniciaram a primeira força-tarefa da operação ‘Tolerância Zero’ contra a covid-19 em Araguaína, Gurupi e Palmas na noite desta quinta-feira (18).

Participam equipes da Polícia Militar, Segurança Pública, Corpo de Bombeiros Militar, Cidadania e Justiça, Departamento Nacional de Trânsito (Detran-TO) e Vigilância Sanitária.

A ação faz parte de um pacote de medidas que proíbe a realização de eventos de qualquer natureza e recomenda que o comércio essencial estenda seu horário de funcionamento dentro do período de 6 horas à meia-noite. A operação visa desarticular qualquer forma de aglomeração de pessoas e atuará de maneira a garantir o cumprimento do decreto estadual.

Primeira noite

Na primeira noite, as equipes de segurança percorreram as principais ruas comerciais, pontos mapeados e locais onde foram feitas denúncias de aglomeração por meio do 190.

Durante a operação, foram realizadas notificações em estabelecimentos, como mercados e distribuidoras, onde os proprietários foram orientados sobre os riscos de contaminação se os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde (SES) não forem atendidos.

Também foram realizadas abordagens e orientações a cidadãos que foram vistos em suspeita a desobedecer ao decreto.

População precisa de conscientização

O secretário de Segurança Pública, Cristiano Sampaio, pede que a população se conscientize. “As forças de segurança pública estarão empenhadas em fazer cumprir o decreto em todo o Estado, identificando e trabalhando para que não haja aglomerações. Mas o mais importante é que a população se conscientize de que cada um deve fazer sua parte para evitar a disseminação do vírus“, afirmou.

Para o comandante-geral da PMTO, Coronel Júlio Manoel da Silva Neto, serão realizadas operações de forma conjunta.

“A Polícia Militar estará atuante na força-tarefa ‘Tolerância Zero’, operando em conjunto com as demais forças de segurança, orientando a população e fiscalizando o cumprimento do decreto que visa tão somente a segurança e a saúde da população do nosso Estado”, ressaltou.

Já o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Reginaldo Leandro, também destacou a parceria entre as forças de segurança do Tocantins.  “Estaremos em conjunto com a Polícia Militar, Polícia Civil e Secretaria da Cidadania e Justiça desenvolvendo a operação ‘Tolerância Zero’. A nossa corporação, o Corpo de Bombeiros, verificará a questão da regularidade de estabelecimentos que estejam abertos, se eles estão em conformidade com alvará do Corpo de Bombeiros e, não havendo regularidade, o estabelecimento será fechado. Claro que estamos falando de ambientes onde estejam acontecendo aglomerações”, disse.

Já o secretário Heber Fidelis, gestor da Secretaria da Cidadania e Justiça, disse que “enquanto pasta integrante das forças de segurança do Estado, temos o compromisso com a sociedade e estamos, por meio da Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon), compondo a força-tarefa ‘Tolerância Zero’, impedindo a realização de eventos ou cessando aglomerações, inclusive em espaços empresariais. Com isso, garantiremos o cumprimento do decreto estadual e evitaremos a propagação do novo coronavírus, preservando a saúde e a vida dos tocantinenses”.

Acompanhamento

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) realiza em tempo real um monitoramento sistematizado com a finalidade de identificar locais com indicativo de grande concentração de pessoas.

Para isso, a secretaria poderá fazer o acompanhamento de aparelhos celulares, redes sociais, aplicativos de transporte ou outro meio que permita o georreferenciamento, preservando a privacidade dos usuários.

As equipes da PM também monitoram os municípios por meio de viaturas e redes sociais. As denúncias podem ser realizadas pelo 190.

Punição

As punições para a pessoa física serão advertência e multa fixada entre R$ 50 e R$ 2 mil.

Para as pessoas jurídicas serão multa de R$ 500 a R$ 20 mil, além de advertência, interdição parcial ou total do estabelecimento, cancelamento de autorização para funcionamento de empresa e cancelamento do alvará de licenciamento do estabelecimento.

Apoio

Na capital, a força-tarefa também contou com apoio da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP) e Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana de Palmas (Sesmu), Vigilância Sanitária, e Fiscalização de Obras e Posturas.

Balanço

Nenhum flagrante de aglomeração foi feito pelas equipes nas cidades do Estado onde ocorreram a força tarefa nesta primeira noite. Mesmo onde houve denúncias da população, nenhuma movimentação que infringisse as regras do decreto foi confirmada.

As fiscalizações irão continuar em todo o Tocantins durante todo o período de vigência do decreto estadual.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: : Forças de segurança abordam suspeitos de aglomeração na região norte da Capital / Foto: Antônio Gonçalves/ Governo do Tocantins


Espalhe essa notícia
error: Conteúdo Protegido