Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora

Espalhe essa notícia

A estudante Erica Nascimento da Silva é uma das finalistas da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), cuja premiação será realizada em cerimônia on-line no sábado (27).  

Erica estuda na Escola Estadual Liberdade, em Palmas, e inscreveu o projeto ‘Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS11) e o Direito à Cidade’ com orientação do professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT) João Aparecido Bazzoli, parceiro da unidade.

Conforme explicou Erica Nascimento, no projeto são propostas ações de acordo com a realidade de Palmas para a implementação da Agenda 2030, que é um plano de ações desenvolvido no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa visa propagar os 17 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODS), que possam erradicar a pobreza e promover o desenvolvimento econômico, social e ambiental em escala global até o ano 2030.

Vendo tudo acontecendo ao meu redor. Vendo que muita coisa poderia ser transformada e que ninguém estava fazendo nada, quando conheci o trabalho de pesquisa do professor João Bazzoli, percebi que essa era uma possibilidade de fazer parte da transformação que eu anseio para minha comunidade. Com um olhar voltado para a realidade local, estamos propondo ações que condizem com o que vivenciamos e que podem gerar muitas mudanças”, ressaltou.

Envolvimento com o projeto

Érica se envolveu com o projeto ainda em 2019, quando se tornou aluna bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atualmente é aluna de extensão do projeto.

“Com essa pesquisa já tive a oportunidade de participar de vários eventos presenciais e, depois (do início) da pandemia, on-line. O que eu quero é despertar nas pessoas o desejo de transformar desafios e que elas se sintam capazes, mesmo com todas as dificuldades”, pontuou. 

A coordenadora pedagógica da Escola Estadual Liberdade, Regina Célia Gomes Botelho, destacou o papel de liderança desempenhado por Erica e sua dedicação como estudante.

“A Érica sempre foi muito participativa nas atividades realizadas na unidade de ensino e na comunidade, ela sempre usou os espaços de fala para motivar e mobilizar seus colegas. Na sala de aula, era uma aluna extremamente dedicada e que tem um grande futuro pela frente”, frisou.

Incentivo e realizações

Filha da trabalhadora doméstica, Márcia Aparecida Nascimento, que cursou até a 3ª série do ensino médio, e do auxiliar de serviços gerais, Bonfin Carvalho da Silva, que estudou até o 1º ano do ensino fundamental, Erica, incentivada pelos pais, enxergou na educação um caminho para realizar seus sonhos.

Em 2019 foi uma das semifinalistas do programa Jovens Embaixadores e, em 2020, participou de uma imersão cultural proporcionada pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, o English Immersion Program.

Em 2020 também participou de um bootcamp (treinamento imersivo) na Latin American Leadership Academy (Lala) [Academia Latino Americana de Lideranças – em livre tradução], cuja missão é "promover o desenvolvimento econômico sustentável e fortalecer a governança democrática na América Latina, desenvolvendo e conectando uma nova geração de líderes de princípios e socialmente inovadores”. A partir dessa participação fortaleceu a rede de apoio emocional que criou na unidade de ensino.

“Junto com a coordenação da Escola, por meio do Grêmio Estudantil, buscamos fortalecer as atividades de autoconhecimento, educação socioemocinal, protagonismo e agora compartilho dicas por meio do @lalaclub.progridelib. Após participar do bootcamps da Lala, transformei a iniciativa em um Clube de Liderança da Academia da América Latina e pretendo continuar trabalhando em parceria com a escola. Trabalha ainda com projetos ligados ao meio ambiente e à igualdade de gênero”.  

Olhar solidário

Erica, a partir das suas experiências, desenvolveu a capacidade de ter um olhar solidário com o seu próximo. Após enfrentar um problema de saúde, em 2017, reconheceu na saúde mental uma demanda real de atenção e cuidado, em toda a sociedade.

“Sempre pensei em estudar fora do Brasil. Tive essa oportunidade, por meio de uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos, mas eu decidi ficar aqui no Tocantins e cursar psicologia. Acredito que assim poderei ajudar mais a minha comunidade”, pontuou.

Febrace

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista promovida e organizada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis.

Estou super feliz em participar e em ter chegado na final. Já aproveito para pedir a votação de todo mundo no Prêmio Votação Popular na Febrace 2021”, comemorou a estudante.

Para conhecer o projeto de Erica, basta acessar: febrace.org.br/virtual/2021/SOC/310/.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: Erica Nascimento da Silva / Foto: Divulgação


Espalhe essa notícia
error: Conteúdo Protegido