Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora

Espalhe essa notícia

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Tocantins (Fecomércio) se posicionou contra lockdown como medida para frear o avanço da covid-19 em Palmas durante reunião entre diversas entidades e a prefeitura da capital na tarde desta terça-feira (2).

O posicionamento da federação é diverso do adotado por outras 26 organizações, as quais defenderam o lockdown em Palmas e cidades vizinhas prazo de 15 dias.

No encontro, o presidente da Fecomércio, Itelvino Pisoni, parabenizou as ações da prefeitura e disse que os empresários estão aflitos. “Agradeço a prefeita Cinthia Ribeiro por esta reunião e parabenizo pelas iniciativas que nos foram apresentadas. Mas eu gostaria de colocar que, após conversar com os demais presidentes de sindicatos, nós, da Fecomércio, entendemos que o lockdown não seria uma solução para o momento. As empresas não podem ser responsabilizadas. O comércio não pode novamente pagar essa conta, pois muitos empresários sofreram muito e ainda estão se recuperando do ano passado”, explicou.

Em sua fala, Itelvino ainda propôs que, caso haja a necessidade de alguma decisão drástica, que seja optado pelo fechamento no período noturno, como está sendo realizado em algumas cidades e capitais de outros estados.

Na oportunidade, ele ainda cobrou ações relacionadas ao transporte público, que é alvo de reclamações da população e trabalhadores do comércio.

CDL

A Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) afirmou que os trabalhadores, empresários e a população em geral se preocupam com a possibilidade de fechamento do comércio na Capital.

"É importante dizer que todos os presidentes defenderam o funcionamento do comércio, pois sabemos o quanto é importante. Reforçamos que é preciso aumentar a estrutura de tratamento para as pessoas, que é o que sempre defendemos. O comércio não tem mais condições de parar", disse o presidente da CDL Palmas, Silvan Portilho.

A entidade disse que vem trabalhando constantemente para conscientizar a população que os cuidados não podem parar. O comércio não pode fechar, mas isso também depende da boa conduta de todos. É preciso usar máscaras, não provocar ou realizar qualquer tipo de aglomeração, fazer o uso do álcool em gel. 

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: Cidade de Palmas / Foto: Luciana Pires/Secom Palmas


Espalhe essa notícia
error: Conteúdo Protegido