Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



A Polícia Civil deflagrou uma operação na manhã desta quinta-feira (26) contra comerciantes que estariam retendo cartões bancários dos povos indígenas Xerente, idosos e demais pessoas em Tocantínia, município na região central do Tocantins.

Denominada de ‘Borduna’, a operação teve o objetivo de cumprir 6 mandados de busca e apreensão e resultou na apreensão de diversos cartões e senhas anotadas em papéis.

De acordo com o delegado Hismael Athos, as investigações iniciaram após o Ministério Público Federal (MPF) enviar notícia crime para Polícia Civil informando que cartões bancários referentes a auxílios do Governo Federal eram retidos por comerciantes da cidade para garantir o pagamento de produtos alimentícios adquiridos pelas vítimas em estabelecimentos comerciais específicos.

Hismael Athos também informou que os cartões permaneciam de posse dos comerciantes e, à medida que os benefícios eram depositados, os respectivos valores eram debitados das contas.

Ainda segundo a autoridade policial, há indícios de que os comerciantes sabiam inclusive as senhas bancárias dos indígenas e realizavam esses saques mensalmente.

O delegado ressaltou que é crime reter cartão de idoso e informou que, inicialmente, a operação servirá de alerta para que os povos indígenas tomem posse dos seus documentos e cartões pessoais.

Orientamos que os beneficiários dos recursos busquem pessoas de sua confiança para realizar os saques bancários e jamais entregue seus cartões bancários a terceiros”, disse.

Nome da operação

A operação foi batizada de ‘Borduna’ em homenagem espécie de armamento indígena com o referido nome, fabricado em madeira maciça e utilizado em caçadas ou mesmo para em situações de ataque e defesa dos povos indígenas.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: Operação ocorreu em Tocantínia / Foto: Divulgação/Polícia Civil


error: Conteúdo Protegido