Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



O raio-x das eleições municipais mostra que vários prefeitos foram reprovados pela população. Gestores de cidades conhecidas do Tocantins não obtiveram êxito na reeleição, como Claudio Santana (MDB) em Araguatins; Júlio Oliveira (SD) em Augustinópolis; Aleno Dias (PP) em Babaçulândia; Adriano Rabelo (MDB) em Colinas do Tocantins; Elzivan Noronha (DEM) em Colméia; Mizô Alencar (DEM) em Filadélfia; Nelsinho Moreira (MDB) em Lagoa da Confusão; Saulo Milhomem (PP) em Miracema do Tocantins; Martinha Rodrigues (PSL) em Natividade; Zé Augusto (DEM) em Peixe; Joaquim Maia (MDB) em Porto Nacional; Miranda Taguatinga (PV) em Taguatinga, além de outros. Algumas derrotas até esperadas, outras surpreendentes. 

No mesmo contexto, no sul do Estado o pupilo do atual prefeito Laurez Moreira (PSDB), o candidato Gutierres Torquato (PSB), não conseguiu vencer a ex-deputada federal Josi Nunes (PROS). 

Outro aliado de Laurez, o candidato Nélio Araújo (PSB), também perdeu a eleição em Dueré, terra natal do prefeito gurupiense. Na queda de braço entre Mauro Carlesse (DEM) e o prefeito Laurez Moreira, pelo domínio político na região sul, o governador venceu ambas as batalhas. 

Com essas derrotas, principalmente em Gurupi, Laurez perdeu totalmente sua musculatura política para eventual disputa ao Governo do Estado. 

Cacife político e serviços prestados foram decisivos no processo eleitoral

Por outro lado, alguns prefeitos de cidades importantes do Tocantins, demonstraram força e musculatura política, obtendo êxito. Foram reconduzidos aos cargos os gestores municipais de Alvorada, Paulo Antônio (DEM); de Cariri do Tocantins, Junior Marajó (DEM); de Caseara, Ildislene Santana (DEM); de Lajeado, Junior Bandeira (MDB); de Miranorte, Carlinhos da Nacional (MDB); de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB); de Tocantínia, Silvino Neto (SD) e Patricia Evelin (DEM) de Xambioá. Cabe aqui, todavia, ressaltar a participação decisiva do senador Eduardo Gomes (MDB) em todas essas reeleições. 

É necessário enfatizar, ainda, as apostas dos prefeitos que não poderiam ser reconduzidos aos cargos, como Ronaldo Dimas (PODE) em Araguaína; Moisés Avelino (MDB) em Paraíso. Eles conseguiram convencer o eleitorado que seus indicados poderiam dar continuidade às obras. Foram eleitos, portanto, Wagner Rodrigues (SD) e Celso Morais (MDB), respectivamente, nestes municípios.  

Dimas mostrou força, mas se pretende disputar em 2022, deve agregar mais que 2020

Entretanto, em que pese ter feito seu sucessor em Araguaína, a liderança de Dimas foi colocada em xeque após a contagem dos votos no Estado. O Podemos, partido que ele preside no Tocantins, disputou a prefeitura em 8 municípios: Arapoema, Carmolândia, Colinas, Cristalândia, Palmas, Praia Norte, São Félix do Tocantins e Luzinópolis. Todavia, conseguiu sair vitorioso apenas nesta última cidade. Um sinal de alerta(!), portanto. Se Dimas tem pretensões para 2022, será necessário repensar as estratégias e ampliar o grupo.

Por fim, com base no resultado das eleições municipais, não há dúvidas que a discussão de 2022 passa necessariamente pelo governador Mauro Carlesse (DEM), pelo senador Eduardo Gomes (MDB) e também pelo prefeito Ronaldo Dimas, sobretudo por causa da vitória em Araguaína.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: Nas eleições, Dimas saiu mais forte e Laurez enfraquecido / Foto: Divulgação


error: Conteúdo Protegido