Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



O distanciamento social provocado pela pandemia do Coronavírus abriu mais um precedente para violações de direitos humanos, que não param de crescer contra crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência e mulheres. Diante deste cenário, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) destaca a ampliação dos canais de denúncias que agora podem ser feitas também pelo aplicativo de WhatsApp. A medida foi disponibilizada nesta quinta-feira, 29, pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

O WhatsApp soma-se aos outros canais de atendimento como o Disque 100 e o Ligue 180, o site da Ouvidoria do MMFDH e ao Telegram. Todas as plataformas podem ser acionadas por qualquer pessoa, com acesso nacional, 24horas, incluindo sábados, domingos e feriados.

A diretora de Direitos Humanos vinculada à Seciju, Sabrina Ribeiro, destaca a praticidade e a importância do novo aplicativo. “Diante do atual cenário de pandemia, quanto mais tecnologia disponível, mais agilidade na apuração das denúncias e, consequentemente, melhores respostas no enfrentamento pelos Órgãos de defesa de direitos humanos”, comemora a gestora.

Importante frisar que os canais de atendimento oferecerem sigilo e anonimato ao denunciante, gratuidade no acesso aos serviços de denúncias, além de disponibilizarem um número de protocolo para que o usuário possa acompanhar o andamento.

Como denunciar pelo aplicativo de WhatsApp

Para fazer denúncias por este novo canal, o denunciante deve enviar mensagem para o número (61) 99656-5008 e imediatamente receberá uma resposta automática. Em seguida será atendido por uma pessoa da equipe da central única dos serviços que analisará a denúncia e encaminhará aos Órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, seguindo o fluxo normal já adotado por outros meios.

Rede de serviços de denúncias

  • Central de Atendimento à Mulher: 180
  • Defensoria Pública do Tocantins:

Araguaína e região: 3411-7418

Gurupi: 3315-3409 e 99241-7684

Palmas: 3218-1615 e 3218-6771

Porto Nacional: 3363-8626

  • Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher:

Araguaína: 3411-7310/ 3411-7337

Palmas Centro: 3218-6878 / 3218-6831

Palmas Taquaralto: 3218-2404

  • Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher e Vulneráveis:

Arraias: 3653-1905

Colinas: 3476-1738/ 3476-3051

Dianópolis: 3362-2480

Guaraí: 3464-2536

Gurupi: 3312-7270/ 3312-2291

Miracema: 3366-3171/ 3366-1786

Paraíso: 3361-2277/ 3361-2744

Porto Nacional: 3363-4509/ 3363-1682

  • Disque Direitos Humanos: 100
  • Ministério Público do Estado do Tocantins: 0800 – 646 – 5055
  • Política Militar: 190
  • Site do Ministério dos Direitos Humanos: ouvidoria.mdh.gov.br
  • Telegram
  • Aplicativo Magazine Luiza
  • Centro de Referência de Atendimento à Mulher – Flor de Liz: 3212-7246

 

(Edição: Marcos Miranda/Governo do Tocantins)

Fonte Por: Alessandro Ferreira Fonte: Márcia Rosa / Governo do Tocantins
Crédito de imagem: Agora é possível fazer denúncias de violação de direitos humanos pelo WhatsApp – Foto: Divulgação Seciju/Governo do Tocantins


error: Conteúdo Protegido