Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Leomar Oliveira Nascimento foi condenado a 13 anos, 10 meses e sete dias de prisão pelo assassinato de Silvane Lopes Mouzinho, 48 anos, praticado em um bar no setor Monte Sinai I, em março do ano passado, em Araguaína.

O júri popular foi realizado nesta terça-feira (27). Conforme o Ministério Público do Tocantins (MPTO), o crime foi cometido com golpes de faca desferidos no pescoço da vítima. Silvane Lopes estava de costas e distraído quando foi atacado.

A polícia apurou, na época, que os dois estavam consumindo bebida alcoólica juntos no bar quando tiveram um desentendimento, motivo este que levou Leomar a deixar o local e retornar com uma faca.

Os jurados entenderam que o réu tinha intenção de matar e que cometeu o homicídio mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. Leomar já responde a outros processos no estado do Maranhão e continuará preso por decisão da Justiça.

O Promotor de Justiça Pedro Jainer Clarindo atuou na acusação em plenário.

Sessões do Júri em Araguaína

Na segunda-feira (26), o júri popular condenou Francimar Queiroz de Oliveira a 14 anos de reclusão pelo feminicídio da esposa, Soraia da Costa, em Santa Fé do Araguaia, no ano passado.

Nesta quinta-feira (29), será a vez do julgamento de Kenneth Handerson Coelho Lima, pela tentativa de homicídio qualificado contra Joilton Soares Santos, ocorrido no ano de 2017 com disparo de arma de fogo.

Kenneth já é condenado a pena de 10 anos e nove meses de prisão por roubo, receptação, associação criminosa armada, porte de arma de fogo e posse de drogas, e a mais três anos de reclusão pela prática de uso de documento falso, documento que utilizava enquanto estava foragido em razão do crime ao qual será julgado no júri.

Fonte: AFNoticias
Crédito de imagem: O réu foi preso em flagrante na época do crime / Foto: Divulgação


error: Conteúdo Protegido