Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Ascom/ Campanha Eleitoral

Mulheres portuenses da cidade, dos distritos e dos assentamentos lançaram o movimento “JUNTAS COM JOAQUIM” para reeleger Joaquim Maia a prefeito de Porto Nacional e assim terem seus direitos fundamentais garantidos e ampliados pela gestão municipal, como à vida, à liberdade, à segurança pessoal, à igualdade, à informação, à educação e à saúde.

Mulheres lançam movimento “JUNTAS COM JOAQUIM” .

Fala Moradora de Luzimangues 

“Convido todas as mulheres a acreditar em Joaquim Maia, porque é o melhor para as mulheres e para o nosso município. Eu nasci e cresci em Luzimangues sempre vendo problemas e mais problemas no meu distrito. A única época em que vivemos um tempo melhor foi agora com Joaquim Maia e por isso eu vou lutar pela reeleição e quem tiver bom senso e querer o melhor para Porto Nacional e para Luzimangues que venha seguir em frente”, exclama Maria da Balsa, moradora do distrito de Luzimangues.

Mulheres portueneses da cidade, dos distritos e assentamentos estão com Joaquim Maia.

Fala Moradora de Pinheirópolis

“O melhor prefeito para Porto Nacional foi Joaquim Maia e por isso eu quero pedir a todas as mulheres para dar mais essa oportunidade para ele fazer um bom trabalho. Nós, mulheres, vamos confiar em Joaquim Maia porque ele trabalhou pela cidade, pelos distritos e pelos assentamentos. Estamos muito felizes com a gestão de Joaquim”, destaca Iracy da Costa e Silva, moradora do distrito de Pinheirópolis.

Joaquim reforçou seu compromisso de continuar dando atenção às políticas públicas voltadas às mulheres.

Joaquim Maia reforçou seu compromisso de continuar dando atenção às políticas públicas voltadas às mulheres.  “Cuidamos e cuidaremos ainda mais das mulheres. Para isso iremos elaborar o plano municipal de políticas públicas para as mulheres, instituiremos o programa de geração de renda, lutaremos para combater a violência doméstica e familiar, implantaremos serviços especializados previstos na Lei Maria da Penha e outras legislações, reativaremos a Rede de Atendimento à Mulher em situação de violência, construiremos uma casa abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica, organizaremos o projeto de igualdade de gênero nas instituições e estabeleceremos programas de saúde integral das mulheres. Tudo para garantir os direitos fundamentais das mulheres de Porto Nacional”, conta Joaquim.

 

 

***


error: Conteúdo Protegido