Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



Texto: Jornalista Luciana Macedo

Fotos: Matheus Ferreira

Imagens: Arquivo pessoal do artista

Secretaria Municipal da Comunicação

O poeta tocantinense, Raimundo Célio Pedreira é o Paraninfo Regional da 39ª edição da Semana da Cultura e 3ª Flip – Feira Literária Portuense, que acontecerá de 9 a 13 de julho, em formato totalmente digital. Homenageá-lo é ler a cultura de Porto Nacional de fora para dentro, pois sua caminhada literária começou na tenra juventude no Colégio Sagrado Coração de Jesus, onde, pelas mãos habilidosas da professora Orcina Gomes Mascarenhas, iniciou seus escritos como ‘redação’. A educadora, percebendo a criatividade do aluno com a escrita, lhe orientou a leitura dos maiores poetas brasileiros da época. E assim começaram os primeiros passos do menino do cerrado com Eli Brasiliense, Drummond, Vinícius, Bandeira e Quintana.

Quando foi estudar em Minas Gerais, aos 16 anos, já levou consigo o livro “Poemas do Povo da Noite”, do poeta portuense Pedro Tierra (Hamilton Pereira), que Célio Pedreira considera, até hoje, o maior poeta brasileiro vivo e que libertou a sua poesia para uma escrita habitada no mais simples do seu lugar – rios, sol, gente, mato e bichos, as folias, e todo o sertão e cerrado dentro dele.

Semana da Cultura e Flip 100% Digital

Os eventos integram a programação alusiva ao aniversário da cidade, que completará 282 anos de história e 159 anos de emancipação política, celebrado no dia 13 de julho. Assim, o Município, em razão das crises social, econômica, política e de saúde pública, provocadas pela pandemia do novo Coronavírus no Brasil e no mundo, projetou toda a festividade em formato totalmente virtual, através da plataforma do “Porto Verão 2020”: http://verao.portonacional.to.gov.br/ . A programação será oficialmente divulgada na quarta-feira, dia 1º de julho.

O portuense

Professor, poeta e médico, Célio Pedreira teve duas de suas obras indicadas para vestibular de universidade pública do Tocantins. Em 2013, a Universidade do Tocantins (Unitins) escolheu a primeira obra do poeta, intitulada “Porta”, como livro regional.

Em 2019, a Universidade Federal do Tocantins (UFT) recebeu da Academia Tocantinense de Letras (ATL) a indicação da obra “As Tocantinas” como obra regional para o vestibular. Esta última foi corrigida pela editora da UFT, através de Edital de fomento à literatura tocantinense. As duas obras tornaram o escritor Célio Pedreira nacionalmente conhecido, tendo em vista que foram lidas por todos os cantos do país onde jovens se preparavam para o vestibular das duas instituições.

Caminhada Literária

São nove livros entre 2002 e 2019 (um deles em parceria com Elizeu Lira e outro em parceria com Eliseu, Sitõe e Torres), os quais conquistam cada dia mais leitores e são objetos de estudos por pesquisadores da literatura tocantinense.

Hoje o poeta Célio Pedreira é intensamente apreciado nas redes sociais onde mantém uma produção poética constante, com destaque para os “Escritos Sensíveis à Luz” e a incrível série de “Miúdos – Poesia para Comer”. Além disso, escreve grande parte dos poemas inseridos na extensa obra de áudio visual do cineasta João Luiz, também portuense.

Farmacêutico, Bioquímico e Médico, Célio Pedreira é professor nos cursos de Medicina do ITPAC Porto – Palmas e da UFT,. Trabalha no Hospital Regional de Porto Nacional há mais de 20 anos e foi, em dois mandatos, Secretário Municipal de Saúde. É membro fundador da ALAPORTO – Academia de Letras e Artes de Porto Nacional e da ATL – Academia Tocantinense de Letras; é diretor de Comunicação e Imprensa do Sindicato dos Médicos do Estado do Tocantins.

 


error: Conteúdo Protegido