Assista-nos ao vivo as 13:30 de segunda a sexta, na TV Portal Microfone Verdade
Escute online agora



A vida não termina com a morte! A morte não acaba com a vida! As pessoas que morreram continuam vivas, apenas despojadas, do corpo físico que é constituído de matéria orgânica que se decompõe logo após o esgotamento dos órgãos físicos….

Após a morte, o Espirito sobrevive porque é imortal, Deus assim o criou e isso é verdade para a totalidade das religiões.

A constatação da sobrevivência do espírito após a morte, muito mais que  religiosa, é CIENTÍFICA. Foi comprovada , em 1853, na França, através das pesquisas do professor  Hipolity Denizar Rivail, ou seja, Allan Kardec, que, com as informações fornecidas pelos Espíritos Superiores, escreveu as cinco obras básicas que compõem o Espiritismo: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, A Gênese, o Céu e o Inferno. Obras fantásticas que sugiro leitura. O médium, Chico Xavier, por exemplo, escreveu mais de 400 livros, todos, ditados por pessoas que já haviam morrido … kkk!  Parece história de fantasma né?, mas,  é ciência que nada tem de sobrenatural, mas, de muito natural, como os Espíritos Superiores nos informam nessas obras.

O Capítulo III, de O Livro dos Espíritos, é dedicado ao tema. Após a desencarnação, palavra mais apropriada para do fenômeno da morte, o espírito volta ao mundo dos espíritos, donde habitava antes de vir para a vida na Terra. Lá, continua sendo a mesma pessoa, com suas virtudes e defeitos, amando e ou odiando os que aqui ficaram. Após revisão de sua estada (ações) na Terra, afere o que o Espírito cresceu e onde pouco avançou. Com esse resultado, programa o retorno à carne, para haurir novos conhecimentos e melhores costumes, visando à evolução constante, rumo à perfeição moral, destinação de toda a Humanidade, e isso só pode se verificar através das vidas sucessivas. Uma reencarnação é como uma gota no oceano da eternidade.

Então, nada de tanta tristeza e de inconformação, quando um ente querido voltar à pátria espiritual, certo? Para lá, todos vamos retornar um dia e bem acompanhados por nosso Anjo Guardião e seremos recebidos por familiares desencarnados e Benfeitores Espirituais.

Os Espíritos Superiores relatam que, da vida, o Espírito nada leva consigo, a não ser, a lembrança e o desejo de ir para um mundo melhor. Afirmam que não é dolorosa a separação da alma do corpo e que muitos mortos assistem aos próprios funerais.

A Ciência Espírita nos informa também que os desencarnados sentem saudades e choram a separação momentânea, daí, a necessidade de orarmos em benefícios de quem está partindo para dar-lhe um pouco de alento e firmeza na nova condição de existência.

O Governador do Planeta Terra, Nosso Senhor Jesus Cristo, sabedor das nossas dores, nos concede reencontrarmos com nossos queridos mortos, pelos nossos pensamentos e preces, no momento do sono e através de fenômenos da mediunidade, como, a  psicografia (escrita) e psicofonia (fala).

Deus nunca nos desampara, está sempre conosco, não nos deixa órfãos. Cuida de todos nós, com desvelo e perfeição, e dá a cada um de nós, segundo as nossas obras, as nossas ações, com justiça, sem privilegiar quem quer que seja.

Assim, vamos observar, em vida, o que temos semeado na lavoura  de nossas ações, porque a colheita dos frutos de nossa semeadura é certa, cedo ou tarde. Que sua colheita seja farta e abençoada!


_________________________________
MARIMAR AIALA   
É jornalista profissional e estudiosa da doutrina espírita
marimar.aiala@gmail.com


error: Conteúdo Protegido