Escute a rádio online agora:

O boletim oficial divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), na noite desta segunda-feira (13), trouxe a boa nova sobre o quadro de propagação do novo coronavírus no estado que permaneceu inalterado.

De acordo com a SES, foram realizados 15 exames e todos deram resultado negativo.

Desta forma, o Tocantins continua com 26 casos confirmados:13 homens e 13 mulheres. A maior quantidade de pessoas infectadas está em Palmas que registrou 16 ocorrências da covid-19. Em Araguaína, são 06 pacientes acometidos da doença e os demais estão distribuídos nas cidades de Dianópolis, Gurupi, Cariri e Paraíso, com 1 caso cada.

Curados

O total de curados também não teve alteração nas últimas 24 horas. Ao todo são 7, sendo 5 em Palmas e 2 em Araguaína.

Transmissão comunitária

O 16º caso confirmado em Palmas, neste domingo (12), pelo fato de o paciente não ter viajado e contatado outros infectados, levou a

a Secretaria Municipal de Saúde está investigando se já existe transmissão comunitária da doença na capital.

A hipótese foi levantada devido ao novo paciente não possuir histórico de viagem e ou contato com outros pessoas contaminadas no Estado, ou seja, ele não sabe como contraiu a doença. Caso confirmada suspeita, esse será o primeiro caso de transmissão comunitária da covid-19 no Tocantins.

Transmissão local, comunitária ou sustentada? Você sabe qual a diferença?

Diante da pandemia do novo coronavírus e do seu elevado poder de contágio, especialistas têm alertado para os diferentes níveis de transmissão do vírus em todo planeta.

Transmissão Local

No Tocantins, sabe-se que o coronavírus foi “importado” para o Estado, ou seja, os primeiros pacientes foram contaminados durante viagens e trouxeram o vírus para cá. Aqui, estes pacientes, tiveram contato com outras pessoas e disseminaram o vírus. Neste caso, é possível identificar o histórico epidemiológico do paciente e determinar como se deu a contaminação e rastrear os possíveis novos casos da doença.

Transmissão Comunitária ou Sustentada

A transmissão comunitária ou sustentada é considerada mais alarmante, uma vez que, neste caso, a transmissão do vírus pode ser feita ao mesmo tempo por várias fontes não identificadas e que não possuem histórico de viagens ou de contado com pacientes contaminados. Esse tipo de transmissão resulta no aumento drástico de casos de contágio e dificulta o combate, já que acontece de forma indiscriminada e de origem desconhecida.

Medidas

A diretora de Vigilância em Saúde de Palmas, Marta Malheiros, afirmou que caso a transmissão comunitária se confirme, medidas de contenção de transmissão do coronavírus como o distanciamento social e reforço nos hábitos de higiene pessoal se tornam ainda mais imprescindíveis.

Diante da possibilidade da transmissão comunitária na capital, novas medidas podem ser adotadas pela administração municipal no intuito de conter o avanço da transmissão, afetando ainda mais a economia da cidade e do Estado com um todo.

Colaboração: Ascom/Prefeitura de Palmas e AfNotícias