sábado ,19 agosto 2017
Página Inicial / Ronda TO / TJTO decreta prisão preventiva para Fábio Pisoni.

TJTO decreta prisão preventiva para Fábio Pisoni.

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, por unanimidade, ao seguir o voto do juiz Zacarias Leonardo, relator em substituição ao desembargador Luiz Gadotti, decretou a prisão preventiva de Fábio Pisoni, réu em uma ação penal que tramita na Comarca de Gurupi. Ele é acusado de ter matado a tiros o estudante Vinícius Duarte de Oliveira, vítima dos tiros disparados pelo réu em um carro onde estavam seis pessoas, em dezembro de 2007.

A decisão é resultado do julgamento de um recurso do Ministério Público na sessão de quarta-feira (30/5). O órgão recorreu da decisão de primeira instância que revogou a prisão do réu em um Pedido de Liberdade Provisória julgado em 2015.

Para o relator, a conduta do réu “mostra desprestígio em relação à vida, a segurança e a incolumidade pública”. O juiz lembra que Pisoni permaneceu foragido da Justiça por quatro anos, entre 2008, quando foi chamado para responder ao processo e o cumprimento do mandado de prisão expedido, em dezembro de 2012, indicando a necessidade de sua prisão. “É evidente a necessidade de acautelar o meio social e a própria credibilidade da Justiça, em contraposição ao senso de impunidade”, anota o magistrado no voto.

O magistrado também ressaltou que os quase 20 recursos impetrados pela defesa do réu, no TJTO, Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça, provocaram a demora no julgamento do processo. Também lembrou que o réu foi pronunciando (mandado a júri popular) em 21 de fevereiro de 2013 e o julgamento pelo Tribunal de Júri chegou a ser marcado para o dia 9 de maio deste ano, mas a sessão não foi realizada em razão de uma liminar concedida pelo Superior Tribunal de Justiça em mais um recurso do réu.

“Pontua-e que o Recorrido é potencialmente envolvido com conduta delitiva grave, geradora de comoção social e, ao que se percebe, a pretensão é distanciar, no tempo, o julgamento da ocorrência dos fatos como forma de abrandar a latente gravidade e o efeito social do delito”, frisa o juiz, no voto.

“É preciso reconhecer que subsistem os requisitos que levaram à decretação da prisão preventiva” do réu, escreve o juiz. “Fica claro que a interposição de inúmeros recursos, com nítido caráter protelatório, tem intuito de postergar o trâmite da ação penal que pode desaguar em condenação criminal”, conclui, ao votar pela expedição do mandato de prisão.

Sobre Portal MV

Jornal Digital de Porto Nacional, Tocantins. Criado em 2014, pelo jornalista e apresentador de Rádio e Tv, Aurivan Lacerda, para ser a extensão do seu programa MICROFONE VERDADE, na Internet.

Você pode Gostar de:

ACIDENTE ARAGUAINA 04

Pedreiro morre em colisão de moto com caminhão.

O acidente aconteceu na tarde de sexta-feira (11), no cruzamento da Ruas Joaquim Monteiro e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *