No âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), surgem diariamente várias iniciativas para melhorar o atendimento a todos que utilizam o serviço. O acolhimento é uma das ferramentas cruciais da humanização, considerado um requisito fundamental para proporcionar a melhoria da qualidade da assistência aos pacientes seus familiares.

Dentre os ambientes de um hospital, o Centro Cirúrgico (CC) é um dos espaços mais tensos, tanto para os pacientes, como para os seus familiares. É no CC que o paciente se separa do seu acompanhante para se submeter a um processo cirúrgico e leva consigo seus medos e inseguranças. O acompanhante por sua vez, também aguarda com ansiedade esse processo.

Com o intuito de amenizar essa tensão, a Secretaria de Estado da Saúde, inaugurou na última sexta-feira, 2, no Hospital Geral de Palmas o  Sistema Acompanha – Informação em Primeiro Lugar. Com a implantação desse sistema o acompanhante pode monitorar o passo a passo do paciente dentro do Centro Cirúrgico em tempo real.

A coordenadora do Centro Cirúrgico, Joice Vilarim Santos, foi um das idealizadoras do projeto. “Pensando na humanização dessa comunicação entre o Centro Cirúrgico e os acompanhantes nesse momento tão difícil, tivemos a ideia de fazer um sistema, como meu esposo é programador ele nos ajudou. O sistema permite aos acompanhantes saber em tempo real se o paciente está na sala de recepção, se foi encaminhado para a sala operatória ou se já foi liberado para o leito. Quem atualiza esses dados são os enfermeiros do bloco. Temos acompanhantes que passam o dia todo aguardando ansiosos por notícias. O sistema auxilia nessa comunicação e ao mesmo tempo quebra essa tensão por qual passam acompanhantes e familiares por que eles podem monitorar o deslocamento do paciente em tempo real”, explicou.

Acompanhantes

Para a dona de casa Leide da Costa Pinto, que está acompanhado sua irmã, vítima de um acidente de trânsito há dois meses, o Sistema Acompanha, auxilia na comunicação entre os familiares e profissionais do bloco. “Gostei muito desse sistema por que às vezes nós não conseguíamos saber informações sobre o paciente.Esse quadro foi uma excelente ideia. Já fiquei esperando cinco, seis horas sem saber o que estava acontecendo lá dentro e a família ansiosa. Agora já tirei a foto do quadro e mandei para toda família para eles ficarem tranquilos. Ela está na sala de espera”, declarou.

Outra acompanhante que também aprovou o sistema foi a professora Aldeni Machado Gomes, que aguardava o irmão que estava sendo submetido a uma cirurgia de baixa complexidade no pé.  “Pelo sistema eu vi que ele já está sendo operado. Com essas informações em tempo real fico muito mais tranquila. Gostei bastante”, disse.

Por Nielcem Fernandes/Governo do Tocantins

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here