Dando o pontapé inicial da pré-campanha de 2018 entre os pretensos candidatos de Porto Nacional e região, nosso portal conversa neste domingo de carnaval (11/02), com um portuense defensor do voto independente com o intuito de formar políticos conscientes e implantar projetos decentes voltados para o bem-estar da coletividade.

Perfil  

Adrierlis Ribeiro Duarte é natural de Porto Nacional. Foi presidente do Grêmio estudantil 11 de Agosto, CEM Professor Florêncio Aires da Silva; exerceu a presidência de honra da UMESPORTO(União dos Estudantes Secundaristas de Porto Nacional); também foi vice-presidente da União Estadual dos Estudantes Secundaristas, quando na época Ricardo Ayres estava na presidência, ano de 1997 a 1998.

Formou-se em Direito pelo Centro Universitário do Distrito Federal, tempo em que era Bombeiro Militar na Capital da Republica. Em 2007, retornou ao Estado do Tocantins, como servidor efetivo da Justiça Eleitoral – TRE-TO. Trabalhou nos Cartórios Eleitorais de Goiatins, Arraias, Natividade Paranã e Taguatinga. Em 2011, retornou ao Distrito Federal, após ter sido empossado no cargo de Delegado de Policia Civil – PCDF.

Gosta da política e sempre sonhou pleitear cargos eletivos, mas, duas situações o impediam: Primeiro, os cargos que exerceu na época, militar na ativa e menos de 10 anos, bem como, o TRE, incompatível com atividade político partidária. A segunda, era maior preparação e experiência, aguardando também o amadurecimento político do nosso eleitorado do Tocantins.

ÍNTEGRA DA ENTREVISTA COM O DELEGADO ADRIERLIS:

1) SRº DELEGADO, ANTES DE COLOCAR SEU NOME A PRÉ CANDIDATURA, QUAL É SUA RELAÇÃO COM O ESTADO DO TOCANTINS E O QUE LHE FAZ DEIXAR SEUS AFAZERES PARA ENTRAR NA POLÍTICA, NA VERDADE O QUE É POLÍTICA? Pois bem! Inicio respondendo o último ponto da pergunta para não me perder rsss… São vários questionamentos e digo: Todos pertinentes. Entendo a política como a arte de bem servir. Na sociedade greco-Romana existia a “polis” e os homens separados para cuidar da “res”, coisa pública. Portanto a política parte desse pressuposto. Nem todas as pessoas têm interesse em cuidar do bem comum, mas, escolhem representantes, daí a idéia de separação, para cuidar da “res pubilica”(coisa publica). A minha relação com o Estado do Tocantins é toda, digamos. Nasci nessa terra, ainda quando era Goiás; meu avô materno é natural de Taguatinga; a minha avó materna, do boqueirão de Arraias. Fui criado em Porto Nacional. Meus familiares são todos do Estado do Tocantins: Porto Nacional, Gurupi, Araguaina, Aliança, Palmas e Paraíso.

Na minha vida, sempre estudei e trabalhei. Desde os 19 anos no serviço público. Entrei pela porta do concurso público e tornei-me concurseiro. Só prestava concursos federais, justamente, porque, conheço a política em nosso estado. Eu sempre escolhi os melhores cargos: Deixei de assumir cargos de técnico do TRT 10ª Região, Analista Judiciário – Área Judiciária TRE-TO, bem como outros concursos anteriores: Sargento do Exercito, Policia Rodoviária Federal. Ou seja, em relação à minha estabilidade e meus objetivos estava indo muito bem. Parti nos últimos dois anos para os concursos da magistratura e avancei em várias fases de uma só vez em dois Estados e o DF, obtendo sucesso no PI.

Na minha época de faculdade eu pensava o seguinte: Se não for político, serei Juiz, porque poderei criar a lei do caso concreto. Sempre fui apaixonado pelo parlamento, pois, ali são tomadas as principais decisões políticas. Onde está o fio da balança. Ser um membro do Poder Legislativo, representante fiel do povo é uma honra. Bom! O sonho de Juiz não me anima mais, mesmo aprovado e aguardando nomeação. O juiz que pensava ser é abstração. Não existe no mundo dos fatos. Os Tribunais Superiores tiraram em grande parte o poder de decisão, tornando as decisões de primeiro grau meros papeis para efeito de estatística. A dialética da decisão não mais existe. O que se tem são decisões padrões onde se vê muita injustiça. Então, a função que poderei agir com independência é no parlamento, sendo ético, transparente, denunciando ao povo o que acontece, não aceitando reuniões em hotéis ou com portas fechadas. Ser honesto é dever do político. Ele tem que ir mais além: Deve provar que é probo. Com relação a deixar meus afazeres, se eleito, também é um motivo a trabalhar pelo povo. O Estado brasileiro não se importa com a Segurança Pública do Cidadão. Nós precisamos ser respeitados. O cidadão, contribuinte, ou, não, no território nacional, ou, no Estado do Tocantins tem que se sentir seguro. Um Estado que não garante a segurança publica está fracassado.

2) SOB O SEU PONTO DE VISTA, DEFINA: ESTADO, POVO E NAÇÃO?

É cada questionamento mais interessante que outro. Parace que estou sendo sabatinado aqui pra ser Ministro do STF rsss! Olha, essas definições todos nós brasileiros, desde o ensino fundamental, deveríamos ter na ponta da língua, assim como cantar o Hino Nacional. Estado é o ente político que exerce a Soberania. Atua em igualdade de condições com os demais Estados Soberanos no mundo. Povo é quem ocupa o território do Estado e Nação é a ligação dos nacionais, valores culturais. Os entes federados: Estados, Municípios e DF possuem autonomia e não soberania. No âmbito interno, o Estado federal atua, através da União. Esses conceitos são altamente relevantes para todos nós. Não estão ligados à determinada área do conhecimento. Portanto devem ser inseridos nas grades curriculares das séries iniciais.

 

3) O SRº PRÉ CANDIDATO PODE DISCORRER SOBRE OS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL? JÁ QUE A LDO, PPA, LOA, AS QUAIS O SENHOR SENDO ELEITO IRÁ ANALISAR, VOTAR E EMENDAR, ESTÃO LIGADAS A  ESSES VETORES.

Certo. Aqui eu quero, antes de responder, perguntar: Os nossos políticos sabem? Se atentam para isso? Debruçam em estudar o assunto para legislar? Não. Porque se fossem preparados, o Brasil, o Tocantins, não estaria nesse fracasso. Não se fabrica político. Política não é profissão. Ou você gosta, se prepara e atue de forma integra e, segundo os ditames da Constituição Federal e das Leis, ou será um desastre. Quanto ao fato de discorrer sobre os fundamentos e objetivos é tranquilo, mas, reforço: São conceitos que estão ao acesso de todos nós; insculpidos nos Arts 1º – Fundamentos e 3º – Objetivos. O Parlamentar deve ter em mente na sua atuação os fundamentos: Soberania, cidadania, dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho e o pluralismo político. Não pode desperceber dos objetivos de legislar segundo os objetivos de: Construir uma sociedade livre, justa e solidária; garantir o desenvolvimento nacional; erradicar a pobreza, a marginalização; reduzir as desigualdades sociais e regionais e promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. O que a gente vê hoje: O supremo declarando inúmeras leis inconstitucionais. Nos últimos anos o Poder Judiciário teve que tomar uma posição ativa(Ativismo Judicial), porque, os fundamentos e objetivos não são observados. A marginalização só aumenta, as desigualdades também; o desrespeito com a pessoa humana é evidente, com a falta do mínimo existencial: Segurança, Saúde, Educação, qualidade de vida. Senhores políticos, vou disputar essa eleição como o seguinte sentido: O ser humano, só pelo fato de ser humano, deve ser tratado com respeito, sendo-lhe assegurada a dignidade em toda situação, seja no ambiente familiar, nos órgãos públicos e privados, na vida social. Somos todos dotados de sentimentos, de sonhos e de realizações.

4) COMO O SENHOR AVALIA O MOMENTO POLÍTICO EM QUE O ESTADO PERPASSA? O momento político é sério e delicado. Precisamos de um pacto político com a sociedade. Cada um de nós tem o dever de resgatar a credibilidade das instituições. O eleitor precisa avaliar melhor os nomes que pretendem disputar os diversos cargos neste ano. A crise financeira e política por que passa o estado é fruto da irresponsabilidade, do egocentrismo, da manutenção no poder, da alta de eficiência, do desperdício, falta de planejamento e de respeito ao povo menos favorecido. Precisamos trabalhar, trabalhar e trabalhar. Deve-se adotar uma gestão de redução das despesas, contenção de gastos. Fazer uma varredura na folha de pessoal. É inadmissível, dos recursos destinados à saúde, mais de 92% ser gasto com pessoal. Tem muita coisa errada. Não podemos tolerar os desvios. Desde o menor órgão, aos altos escalões há que fazer ajustes. Não podemos tolerar privilégios. Tem muita gente desempregada, passando necessidades básicas. Hospitais sem atendimento médico, falta instrumentos mínimos nas unidades de saúde. O momento político é de encarar um desafio em que cada um terá sua parcela de responsabilidade com a presente e futuras gerações.

5) COMO O SENHOR PRETENDE TRABALHAR O FORTALECIMENTO DE SUA PRÉ CANDIDATURA E QUAIS AS POSSIBILIDADES DE ALIANÇA?

Bem, iniciamos um trabalho desde abril do ano passado, conversando com as pessoas, levando as idéias, tratando dos assuntos internamente via partido político. Temos feito o corpo a corpo até o momento. O estado tem dimensões enormes. Não sou rico, não tenho avião, o que recebo é minha remuneração com muito trabalho honesto. Amigos que me conhecem, desde minha infância tem se disposto a nos ajudar. Estamos trabalhando com multiplicadores e hoje temos atingido muita gente no Estado que não tenho conseguido cumprir a agenda, especialmente, porque, a licença político partidária do trabalho inicia apenas com o registro da candidatura. Por enquanto, utilizo as folgas, férias e licenças pendentes. Buscaremos fortalecer mais e mais a atuação nas redes sociais, com sinceridade, compromisso, idéias e responsabilidade. Não podemos enganar as pessoas e todos nós temos sido enganados. Um dos motivos que me faz levantar todos os dias e pedir a Deus forças para ir até o fim e lutar pelo meu povo.

6) O SENHOR TEM CIÊNCIA DE QUE O CARGO O QUAL PLEITEIA O TORNA UM MEMBRO DE PODER NÃO É MESMO? QUAIS AS FUNÇÕES TÍPICAS E ATÍPICAS DESTE PODER, E QUAIS OS INSTRUMENTOS DISPONÍVEIS PARA O EXERCÍCIO DO MANDATO COM INDEPENDÊNCIA?

Sim. Tenho sou consciente disso. O deputado Federal é membro do Poder Legislativo o qual tem como função típica legislar, elaborar leis e fiscalizar, com auxilio do Tribunal de Contas da União. Quanto às funções atípicas, podemos citar a atuação parlamentar nas atividades administrativas da casa, bem como a organização das mesas, dos gabinetes, das comissões, tudo para a finalidade do exercício parlamentar. O deputado possui verbas destinadas à atuação no parlamento. Essa verba é destinada à contratação de equipes, para auxiliá-lo na elaboração de estudos e projetos de leis. Por exemplo: Tenho uma proposta para amenizar, ou, resolver a questão da seca no Sudeste do estado do Tocantins; necessito de pessoas técnicas para me auxiliar e para tanto, devem ser bem remuneradas. O que observamos são parentes, amigos, muitos deles sem qualificação alguma, ou, até mesmo o absurdo de emprego dessas verbas em benefício do parlamentar, através de interposta pessoa. Temos esses instrumentos para trabalhar com independência.

7) NO CASO DE MANDATO PARLAMENTAR ESTADUAL/FEDERAL, EXISTE A VERBA DE GABINETE, SENDO ELEITO, COMO O SENHOR PRETENDE USÁ-LA? Como acima exposto, usarei segundo o destino para qual existe: Exercício da atividade parlamentar. Contratar pessoal, criar conselhos técnicos regionais, que muitos deles usam pra escritório político. Os conselhos técnicos irão auxiliar as prefeituras, em emendas enviadas, bem como fiscalizar e informar a sociedade. Exercerei um mandato próximo da população.

8) ACOMPANHAMOS A POLÍTICA DO TOCANTINS HÁ ANOS E O QUE SE VÊ É O ELEITOR MAIS ANTENADO COM AS AÇÕES POLÍTICAS. NA ONDA DO “NOVO”, HÁ MUITOS POLÍTICOS PEGANDO CARONA E SE AUTO INTITULANDO O NOME DA RENOVAÇÃO, COMO O SENHOR VISUALIZA ESSA QUESTÃO DO NOVO E DA NOVA POLÍTICA?

Excelente pontuação. Importantíssimo o eleitor está antenado. Até porque, temos passado muita vergonha pelos escândalos os quais todos têm acompanhado. O Tocantins tem sido objeto de piada Brasil a fora. A policia Federal já batizou a maior parte de suas operações em nosso estado. Depois dos óculos a perder de vista, vieram os palitos de fósforo a atear fogo no mundo. São tantas aberrações que nos deixam escandalizados. Portanto a renovação é uma necessidade. Digo no modo de se fazer política. É hora de tirar fora os profissionais da política. Os novos nomes devem ser avaliados bem, pois, muitas vezes não exerceram mandato, mas, estão pleiteando como novo a mandato dos velhos caciques e nesse ponto, o modo de agir não mudará em nada. A nova política que pretendemos é desraigada de grupos e interesses individuais. Todo o sistema normativo e moral deve ser observado fielmente. O gestor deve ter coragem e atitude para decidir. Deve ter visão e foco na Administração de resultado. As instituições devem ser aparelhadas e o servidor cobrado a produzir. O parlamentar deve está comprometido com a sociedade, não com líderes, prefeitos, vereadores. Não devemos deixar de exercer a nossa liberdade de escolher nossos candidatos, atribuindo tal faculdade a alguém porque, esse pediu que votasse em tal candidato. Não. Avalie, estude, sabatine o candidato, veja a atuação, o seu passado. Se for detentor de mandato eletivo e candidato à reeleição, anote o nome; observa a conduta na Assembleia, na  Câmara, ou no Senado Federal. Lembre-se: Se a justiça tem falhado, está chegando o momento de nós eleitores sermos o Promotor, o Juiz da situação. Seu voto será a sentença.

9) POR FIM, FALE SOBRE O ATUAL MODELO POLÍTICO E NOS APRESENTE O QUE SERIA UM EFETIVO MODELO DE PRÁTICAS CONCRETAS DE SUA INICIATIVA QUE POSSA FAZER COM QUE O ELEITOR VOLTE A ACREDITAR NA VERDADEIRA POLÍTICA

O atual modelo político em nosso estado é familiocrata. Desde a criação do estado os velhos grupos se revezam. Fazem de conta que brigam e, quando se vêem ameaçados, juntam-se e utilizam das velhas práticas: Uso da máquina pra cooptar eleitores. O único objetivo é o poder. Não se ver sanidade nos políticos para admitirem que erraram, reconhecer que não se preocupam com o próximo e deixar de vez a arte da política. O que se ver são promessas, mentiras, abuso de poder e desvio de finalidade.

Como parlamentar, se o eleitor assim quiser, estarei na Câmara dos Deputados propondo a união da bancada em prol do Tocantins. Independentemente de quais municípios tiver mais votos, não importa; nosso objetivo é pensar em reerguer o estado. Não medirei esforços para elaborar projetos nas diversas áreas. Sou de família bastante humilde. A juventude de hoje, talvez não saiba o que seja levar os cadernos para a escola em uma sacola de açúcar; estudei todo ensino fundamental e médio em escolas públicas do Tocantins. O ensino Médio, no ultimo ano, conclui usando apenas uma calça. Em Brasilia, pra estudar, sei a dificuldade do que é usar o transporte público. Já dormi em parada de ônibus, porque, a categoria dos motoristas estavam em greve. Valorizo o professor, porque, foi a educação e os livros que me trouxeram até aqui. Hoje posso comprar a roupa que desejo. Dou valor aos policiais militares e bombeiros militares, porque, sofri na pele as madrugadas sem dormir para atender a população. Sei o que é se sentir impotente frente ao crime, pois, trabalho diretamente com vítimas dos mais diversos tipos de infração penal. Não importa qual governador seja eleito, estarei pronto pra lutar pelo meu povo. Se a bancada federal assim não pretender; irei realizar um trabalho individual jamais visto no Brasil. Implantarei, já estamos finalizando, com uma pessoa expert em TI, um sistema de Atividade Individual Parlamentar, onde o cidadão irá acompanhar, desde minha declaração de Imposto de Renda e de todos que trabalham no gabinete, até a destinação e aplicação das emendas parlamentares. Tudo: Diárias, valores, serão lançados no sistema que poderá ser acompanhado por aplicativo. O cidadão verá onde, como, qual o valor, se a obra está concluída e em pleno funcionamento. Com o próprio dispositivo, poderá ir até a prefeitura e tratar diretamente com o prefeito, ou, com a devida pasta, procurando saber se aquela emenda veio realmente. Quero andar de cabeça erguida nas ruas e, quando subir na tribuna da Câmara, desejo ver o meu povo sentindo orgulho de seu parlamentar. O sistema não corrompe quem tem caráter. Ameaças? Quem está na guerra, já é previsível. Podem matar o meu corpo, mas, os sonhos estarão comigo. No meu espírito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here