Plantão
Ronda Porto

Jovem depressivo corta os pulsos e se enforca dentro de casa em Porto Nacional.

Publicado dia 13/05/2018 às 13h32min | Atualizado dia 13/05/2018 às 13h42min
Com problemas psíquicos e sob efeito de medicação, o rapaz já tinha tentado suicídio 8 vezes.

O vendedor Cleber Vieira Barbosa, 22 anos, que residia na Rua Miguel de Oliveira Negre, Bairro Sol Nascente, em Monte do Carmo –TO, exterminou a própria vida, por volta das 15 horas deste sábado (12).

O ato tresloucado foi praticado quando o jovem se encontrava na casa de sua namorada, à Rua Marabá, Setor Jardim Querido, em Porto Nacional.

De acordo com informações de testemunhas, desde quinta-feira (10), Cleber vinha tendo sucessivos desentendimentos com a companheira ao ponto de danificar o veículo dela, ocasião em que também falava em se matar.

Na tarde de sexta-feira (11), segundo seus familiares, o rapaz cortou os pulsos e teve que ser internado no Hospital Regional de Porto Nacional de onde fugiu para tentar um entendimento com a namorada.

Com comportamento agressivo e sem nenhuma possibilidade de diálogo, a companheira acabou saindo de casa e deixando Cleber em companhia de um amigo. Na ocasião, o jovem começou a golpear os punhos novamente. Sem conseguir conter a situação,  a testemunha saiu da residência e acionou a Polícia Militar. Antes da chegada da guarnição, Cleber rapidamente fechou as portas da casa e usou um lençol retorcido (teresa) para concluir seu intento de deixar essa vida. O corpo foi encontrado pelos militares pendurado em uma vigota.

Perícia e IML foram chamados para os procedimentos no local. Em seguida, o cadáver foi levado para exames no IML de Porto Nacional.

Histórico

Familiares e amigos que conviveram com Cleber em Monte do Carmo confirmaram que ele tinha enorme depressão desde os 16 anos, inclusive, sendo dependente de medicação controlada.

Ao todo, ele tentou suicídio oito vezes por envenenamento, overdose de medicamentos e cortando pulsos.

Foi submetido a diversos tratamentos, mas, nunca se livrou definitivamente dos problemas psíquicos.

Prevenção

Casos de suicídios são sempre muito chocantes e dolorosos, verdadeiras tragédias familiares e sociais que se arrastam por muitas gerações. As pessoas não costumam conversar sobre esse tema, preferem ignorá-lo, isso porque, além de ser um assunto muito penoso, ainda traz uma carga cultural e religiosa muito grande. Entretanto, os fatos nos alertam para a necessidade de quebrar esse tabu, destituir-se de julgamentos e procurar esclarecimentos que possam ajudar na prevenção de tão triste ato.

Muitos estudos apontam que existem alguns comportamentos que podem indicar que a pessoa tenha tendência suicida ou idealize, de alguma forma, esse ato. Estar atento a esses indícios é de suma importância para a prevenção do suicídio. Esses indícios, bem como a forma de lidar com eles estão minuciosamente esclarecidos no manual dirigido a profissionais de saúde mental, do Ministério da Saúde.

Observar é fundamental

Definitivo para qualquer situação é não ignorar indícios importantes como a manifestação oculta ou declarada da vontade de "sumir", "ir embora", "fugir da vida", "não aguentar mais". Disfunções como tristeza profunda e continuada, mau humor generalizado, falta de disposição e mudanças bruscas de atitudes devem ser analisados com muita atenção. Sendo esse um assunto tão delicado, muitos pais deixam de comentá-lo com seus filhos, preferem pensar que isso jamais ocorreria, mas essa escolha pode ter consequências muito dolorosas. A busca da ajuda de profissionais ligados à saúde mental é imprescindível para um diagnóstico seguro, bem como o conhecimento da forma de tratamento indicada. Acreditar que simplesmente "vai passar" pode ser muito perigoso.

Por Suely Buriasco - Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.

Fonte: família.com.br

Fonte: Portal MV