Segunda, 17 de junho de 2019
63984631128
Ronda Porto

01/01/2019 ás 11h57 - atualizada em 02/01/2019 ás 15h21

PortalMV

Porto Nacional / TO

POKER FACE: Delegados se dizem satisfeitos com depoimentos e liberam vereadores.
Os parlamentares cumpriam prisão temporária que terminaria às 23h e 59h desta segunda (31)
POKER FACE: Delegados se dizem satisfeitos com depoimentos e liberam vereadores.
Da esquerda para a direita: Ricardo Real, Danyelle Toigo e Gregory Almdeida.

No começo da noite de segunda-feira (31), os vereadores Adael Oliveira, Miúdo, Jean Carlos e Geylson Neres Gomes – este último licenciado para assumir a Secretaria Municipal de Governo – foram liberados depois de quase 5 dias detidos por força de mandados judiciais.


Eles são investigados pela Polícia Civil no âmbito da operação Poker Face que venha a ser a sequência da força-tarefa anterior denominada de Negócios de Família. Ambas, conforme as palavras do delegado Ricardo Real, investigam uma organização criminosa montada em conluio com empresas comandadas por um casal de pastores evangélicos, com a finalidade de pilhar os cofres públicos.


A liberação dos edis foi solicitada pela defesa deles alegando que o prazo estaria se esgotando e não havia pedido de prorrogação por parte dos investigadores.


Por sua vez, os delegados Ricardo Real e Danyelle Toigo que conduziram os depoimentos e analises de materiais periciados, se deram por satisfeitos, ressaltando que os vereadores colaboraram com as investigações e se colocaram à disposição, não havendo mais necessidade de mantê-los recolhidos.


Com base na alegação dos presos e ciente e não havendo solicitação de prorrogação por parte das autoridades policiais, o pedido de relaxamento foi prontamente acatado pela Juíza substituta plantonista da 1º Vara Criminal de Porto Nacional, Dra. Emanuela da Cunha Gomes.


Empresário continua preso


Além dos quatro parlamentares (Adael, Miúdo, Jean e Geylson), também já foram postos em liberdade Elean Rodrigues – funcionário concursado da Câmara; Gilson de Paiva Ferreira – consultor de licitações; e Helmar Tavares Mascarenhas Jr – ex-presidente da Câmara.  


Permanece detido o empresário Paulo Ricardo Rodrigues, testa de ferro de duas empresas que estão em nome de laranjas e que teriam participado diretamente das supostas fraudes nos certames licitatórios juntamente com as outras duas que estão em nome do pastor Ubirajara Jr. e sua esposa Eva Pollyana.


TJ nega HC de Manduca


A Defesa do ex-presidente da Câmara de Porto Nacional e Ex-Secretário de Governo, Fernando Manduca, recebeu a negativa do Tribunal de Justiça diante do pedido de habeas corpus impetrado na tarde deste domingo (30).


O defensor pugnou pela revogação, em caráter liminar, da ordem de prisão preventiva, decretada no último dia 26, pela juíza plantonista da 1ª Vara Criminal de Porto Nacional Edssandra Barbosa. O advogado de Manduca sugeriu a fixação de medidas alternativas em vez de detenção.


Com o indeferimento da solicitação, o investigado permanece rotulado como foragido da justiça. 

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados