Terça, 11 de dezembro de 2018
63984631128
Geral

05/12/2018 ás 10h27 - atualizada em 06/12/2018 ás 00h59

86

PortalMV

Porto Nacional / TO

Procurador Eleitoral denuncia compra de apoio político e pede cassação de Governador e seu Vice.
Os crimes eleitorais teriam sido praticados durante as eleições suplementares.
Procurador Eleitoral denuncia compra de apoio político e pede cassação de Governador e seu Vice.

 


O governador Mauro Carlesse e seu vice-governador, Wanderley Barbosa, ambos do PHS, estão na mira do Ministério Público Eleitoral (MPE).

Na noite desta terça-feira (04), através do procurador Álvaro Manzano, o órgão pediu  que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) casse os mandatos dos gestores.

Segundo denúncia do procurador, há indícios de que durante a Eleição Suplementar o governador tenha comprado apoio político através de emendas parlamentares, dando como exemplo das supostas irregularidades, o pagamento para realização de  festas, shows e eventos.

Ainda conforme o documento, também teria ocorrido a utilização de bens públicos em favor do gestor durante campanha eleitoral bem como uso promocional de caráter social e pagamentos irregulares de despesas. 


A ação, que inclui também a ex-presidente Agência Tocantinense de Saneamento (ATS) Roberta Castro, investiga a suspeita de compra de apoio político através de emendas parlamentares e convênios, utilização de bens públicos móveis e imóveis pagamentos irregulares de despesas de exercícios anteriores e uso promocional de serviços de caráter social custeado pelo Poder Público.


Nota


Em nota, o governador afirmou que respeita o parecer, mas que trata-se somente do posicionamento da instituição. Ele ainda negou que tenha ocorrido tais irregularidades durante sua campanha e disse que confia que o resultado do julgamento terá um desfecho positivo para que o Tocantins prossiga em seu trabalho de manutenção da estabilidade política e jurídica.
 
Mauro Carlesse era presidente da Assembleia Legislativa e assumiu interinamente o cargo de governador em março deste ano, quando Marcelo Miranda (MDB) teve seu mandato cassado pela Justiça. Carlesse manteve-se no cargo após vencer a Eleição Suplementar para o mandato tampão e em outubro foi reeleito governador para seu segundo mandado. 

FONTE: Portal MV

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados