Operação da PC detém 9 pessoas e desarticula associação para o tráfico de drogas.
Sábado, 17 de novembro de 201817/11/2018
63984631128
Trovoadas isoladas
22º
28º
31º
Porto Nacional - TO
dólar R$ 3,74
euro R$ 4,27
MICROFONE VERDADE
RONDA TO
Operação da PC detém 9 pessoas e desarticula associação para o tráfico de drogas.
A ação foi realizada por agentes da DPC de Ananás e das DRPCs de Tocantinópolis e Araguatins.
PortalMV Porto Nacional - TO
Postada em 03/11/2018 ás 23h03 - atualizada em 04/11/2018 ás 23h40
Operação da PC detém 9 pessoas e desarticula associação para o tráfico de drogas.

Na manhã dessa sexta-feira (2), policiais civis das Delegacias de Ananás e 2ª Delegacia Regional de Tocantinópolis, com o apoio de agentes da 10ª DRPC de Araguatins, deflagraram a operação “Cannabis Delivery”, que resultou na prisão de nove pessoas acusadas de participarem de um esquema de venda e entrega de drogas, em Ananás.


Conforme o delegado Rodrigo Saud Anturiano, titular da Delegacia de Ananás, há algum tempo, a polícia civil estava investigando a atuação dos criminosos em Ananás e região, que se associaram para a prática do crime de tráfico de drogas, fazendo distribuição diária de entorpecentes, em sua maioria maconha.


Durante os trabalhos investigativos, os policiais identificaram a maneira de agir dos suspeitos e seus relacionamentos com o crime, deixando evidente a participação de cada indivíduo nas ações delituosas. Durante ação, foram apreendidos aparelhos celulares, balança de precisão e algumas porções de drogas ilícitas, e realizadas as prisões de


Antônio Filho Alves Oliveira,


Luís Moreira Soares,


Nerson Mendes da Rocha,


Dayena Sousa Pinto,


Generson de Sousa Lima,


Jardenilson Silva Marques da Cruz,


Maria Lúcia Araújo do Nascimento,


Reinan Rosa de Andrade


Júnior Santos Reis.


Os 9 indivíduos foram autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico e, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, foram encaminhados à Cadeia Pública de Ananás, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. As mulheres, por sua vez, foram recolhidas na carceragem da Unidade Prisional Feminina de Babaçulândia.


Ainda segundo o delegado Rodrigo Saud, o nome da operação é uma alusão ao modo como era realizada a distribuição da droga, que não era feito em ponto fixo, e sim entregue ao “cliente” onde ele estivesse.

FONTE: Por Rogério de Oliveira/Ascom-SSP
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
214