AL rejeita PEC que aumentaria teto salarial dos servidores estaduais para 30 mil reais.
Sábado, 17 de novembro de 201817/11/2018
63984631128
Trovoadas isoladas
22º
28º
31º
Porto Nacional - TO
dólar R$ 3,74
euro R$ 4,27
MICROFONE VERDADE
GERAL
AL rejeita PEC que aumentaria teto salarial dos servidores estaduais para 30 mil reais.
Dos 15 presentes, apenas Paulo Mourão e Eduardo Siqueira Campos votaram a favor da matéria.
PortalMV Porto Nacional - TO
Postada em 01/11/2018 ás 00h00 - atualizada em 01/11/2018 ás 00h16
AL rejeita PEC que aumentaria teto salarial dos servidores estaduais para 30 mil reais.

Por 13 votos a dois, os deputados rejeitaram na tarde desta quarta-feira, 31, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que aumentaria o teto do funcionalismo público, de R$ 24 mil para cerca de R$ 30 mil.


A matéria chegou a ser retirada de pauta pela manhã, a pedido do autor, deputado Nilton Franco (MDB), mas foi incluída novamente à tarde por decisão da presidente da Assembleia, deputada Luana Ribeiro (PSDB), a pedido da maioria dos deputados.


A decisão da presidente causou controvérsia entre os parlamentares. O deputado Paulo Mourão (PT) protestou porque a votação aconteceu na ausência do autor e a despeito de um pedido do emedebista, que acompanha uma cirurgia de emergência da esposa.


Mourão chamou o fato de “rolo compressor” e disse que “o governo não pode determinar o que pode ou não ser votado aqui”, em alusão a um suposto pedido do governador Mauro Carlesse (PHS), conforme a imprensa, em um almoço com deputados nesta quarta.


Em resposta, a presidente da Assembleia disse que “o governo não determinou nada” e que respeitou o pedido do autor da PEC, Nilton Franco. “A matéria entrou na sessão subsequente”, explicou Luana, ao destacar que não havia novo pedido para a retirada da proposta da ordem do dia, em relação à sessão vespertina.


Também em resposta a Mourão, o deputado Zé Roberto (PT) disse que jamais nenhum governador vai lhe dizer o que deve ou não votar. “Em nenhum momento o governador Carlesse pediu para que a gente votasse essa PEC. No final do almoço, estimulado por dois deputados, ele falou de sua preocupação com as contas públicas”. 


Zé Roberto relembrou que seu posicionamento sempre foi contrário à PEC. Também lembraram o mesmo posicionamento em relação à proposta os deputados Ricardo Ayres (PSB), Elenil da Penha (MDB) e José Bonifácio (PR).

FONTE: Ascom/AL-TO
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: