sábado ,19 agosto 2017
Página Inicial / Destaques / Deputados do Tocantins aprovam reforma trabalhista e justificam suas decisões.

Deputados do Tocantins aprovam reforma trabalhista e justificam suas decisões.

Após 10 horas de discussões e protestos da oposição, a Câmara dos Deputados concluiu a votação do texto base da reforma trabalhista (PL 6787/16, do Poder Executivo) que foi aprovado na madrugada desta quarta-feira 26. Ao fim da votação, 296 deputados federais aprovaram o texto base da proposta e 177  votaram contra.  Da bancada tocantinense todos os sete deputados presentes votaram a favor da reforma, com exceção da deputada Dulce Miranda que estava ausente na sessão.

O texto altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para prever, entre outras medidas, a prevalência do acordo sobre a lei, regras para o trabalho intermitente e o fim da contribuição sindical obrigatória e da ajuda do sindicato na rescisão trabalhista. Agora o texto segue para aprovação do Senado. Além do texto principal, há 17 destaques apresentados pelos partidos que ainda serão analisados.

Apenas PT, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, PSOL, Rede e PMB orientaram sua bancadas a votar contra o texto apoiado pela base governista de Michel Temer.

Confira como votaram os deputados federais do Tocantins:

Professora Dorinha (DEM) – SIM

Josi Nunes (PMDB)  – SIM

Lázaro Botelho (PP) – SIM

Vicentinho Júnior (PR) – SIM

César Halum (PRB) – SIM

Irajá Abreu (PSD) – SIM

Carlos Henrique Gaguim (PTN) – SIM

Dulce Miranda (PMDB) – Não votou

Parlamentares comentam seus votos

Por meio de suas redes sociais a deputada federal, Professora Dorinha explicou o seu voto e argumentou que “há muita desinformação quanto à reforma trabalhista. Não houve nenhuma mudança no que diz respeito aos direitos do trabalhador. Todos estão preservados. Garantia constitucional”, defendeu. Dorinha destacou ainda que a reforma prevê a equiparação salarial de homens e mulheres. “Dados de 2015 do PNAD/IBGE mostram que as mulheres ganham, em média, 80% dos salários que os homens recebem no Brasil. Diante desta preocupação, foi incluído no texto da reforma trabalhista, a pedido da bancada feminina da Câmara, multa nos casos em que a discriminação salarial se der comprovadamente por questões de sexo e etnia”, pontuou.

O deputado César Halum se manifestou por meio de nota defendendo a reforma como uma modernização que garantirá os direitos aos trabalhadores. “Votei sim, por vários motivos com confiança e convicção que é o melhor para o Brasil e para os Brasileiros, aqui cito alguns deles: 1º – Tornar as empresas Brasileiras principalmente as pequenas e microempresas mais competitivas, valorizando os bons trabalhadores; 2º – Facilitar o acesso de milhões de desempregados ao mercado de trabalho, tem muita gente de barriga vazia; 3º – Flexibilizar as relações: trabalhador x patrão, através do banco de horas, trabalho intermitente, etc; 4º – A pedido de milhões de trabalhadores, pôr fim a contribuição sindical obrigatória, tornando-a opcional; 5º – Atualizar uma legislação perdida no tempo, a CLT é de 1943; Falta com a verdade aqueles que dizem que haverá perda de direitos. Foi mantido 13º, férias, licença maternidade, hora extra, FGTS, dentre outros benefícios,” afirma o deputado em sua nota.

Os demais deputados foram procurados pela reportagem do T1, mas ainda não retornaram.

Fonte: T1Notícias

Sobre Portal MV

Jornal Digital de Porto Nacional, Tocantins. Criado em 2014, pelo jornalista e apresentador de Rádio e Tv, Aurivan Lacerda, para ser a extensão do seu programa MICROFONE VERDADE, na Internet.

Você pode Gostar de:

Cenovo Arraias 10-08-17 (184)

Paraíso recebe reunião da Cenovo nesta sexta, dia 18.

A Comissão Especial de Estudos para o Novo Ordenamento, Econômico, Administrativo, Social e Político do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *